Reguffe apresenta projeto que proíbe BNDES de financiar projetos no exterior

Protocolei hoje, aqui no Senado, projeto de lei que proíbe o BNDES de financiar projetos no exterior. Foi numerado como PLS 261/15. Somente em 2013 e 2014, o BNDES destinou R$ 3 bi para Angola, R$ 3 bi para Venezuela e R$ 800 milhões para Cuba. Financiou também projetos na Bolívia, Benin e Gana. É inaceitável que com tantos problemas no Brasil, o BNDES destine dinheiro do contribuinte brasileiro para o exterior! Isso deveria estar sendo aplicado na saúde e na educação no Brasil. Outra coisa revoltante, quando era deputado federal, fiz um requerimento formal de informações ao Ministério da Fazenda solicitando o impacto financeiro e orçamentário de se retirar os impostos dos remédios. Resposta: R$ 3 bi por ano. E dizem que minha PEC 02/15 que proíbe a tributação sobre remédios vai dar prejuízo aos cofres públicos… Algo que ninguém compra porque quer, mas porque precisa. E dar R$ 3 bi para Angola? E outros R$ 3 bi para Venezuela? E outra coisa, o BNDES dá R$ 10 bi para um único empresário. Com os mesmos R$ 10 bi, poderia financiar 100 mil pequenos empreendedores com R$ 100 mil. Façam os cálculos. E olha que o BNDES tem o S de social no nome… Fui um dos primeiros aqui a assinar o pedido de instalação da CPI do BNDES, mesmo contrariando a orientação do meu partido. E minha assinatura continua lá. Agora, independente de qualquer coisa, não é justo com o contribuinte brasileiro o BNDES aplicar o dinheiro dos seus impostos em projetos no exterior. Isso é algo inaceitável e revoltante!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s