DEPOIS DO MASSACRE DA CHÁCARA 200, Renato Santana foge de Vicente Pires como o diabo foge da cruz

RENATOSANTANA1-INTRO1

No lançamento da Frente Parlamentar em Defesa da Regularização de Vicente Pires, ocorrida oficialmente no último domingo (30), a ausência do vice-governador e administrador interino da cidade foi motivo de duras criticas por parte dos moradores e lideranças que participaram do ato na Feira do Produtor.

O presidente da Frente, deputado Bispo Renato Andrade, lamentou a ausência do vice-governador na reunião. “O Administrador da cidade foi convidado diretamente por mim, mas como é de praxe deste governo, estão fugindo. Pelo menos por respeito aos moradores, ele deveria estar aqui”, lamentou Bispo Renato.

A Frente Parlamentar foi criada após o massacre da Chácara 200 onde o Governo de Brasília derrubou 25 casas sob a alegação de que foram construídas em áreas destinadas a equipamentos públicos. Apenas oito residências continuam intactas mais o GDF recorreu na justiça para derrubar as liminares que estão garantindo a manutenção dos imóveis.

Segundo informações chegadas ao Radar está sendo montada uma nova agenda de operações de derrubadas da Agefis para a região. A ausência de Renato Santana na reunião do último sábado teria sido a forma encontrada por ele para não se comprometer com os moradores que querem a suspensão das operações até que seja encontrada uma solução para a regularização e que o GDF diga quais são as áreas que pretende destinar a equipamentos públicos. “Isso se faz com diálogo e não fugindo da população como faz o administrador”, disse o líder comunitário Gilberto Camargos.

A reunião do último sábado serviu para que a Frente fosse lançada na presença dos moradores como um ato simbólico, “pois além dos moradores que foram vítimas do massacre da chácara 200, estamos abraçando ainda a causa de centenas de outras famílias que também estão na mesma situação”, afirmou Bispo Renato Andrade. O distrital afirmou que além dele todos os demais 23 deputados distritais são apoiadores da luta pela legalização do Setor Habitacional Vicente Pires.

O diretor da Associação Comercial  do Jardim Botânico, Wander Azevedo, também presente no evento, afirmou que a política precisa caminhar ao lado da sociedade. “A mão do Estado é de ferro e a da população só serve para pagar impostos”, disse ele.

Para Sumaya Guimarães, moradora da chácara 200, as famílias desabrigadas precisam ser prioridade. “Apenas uma porcentagem da nossa região estava destinada ao maquinário público, mas eles derrubaram tudo. Nós podemos ser poucos, mas as histórias têm um valor inestimável”, declarou a moradora, emocionada, reafirmando que os residentes da região pagavam impostos e tinham autorização da Administração Regional para morar.

Em março deste ano quando o vice-governador Renato Santana assumiu interinamente a Administração Regional de Vicente Pires e chegou na cidade com o seguinte discurso:

“A determinação do governador é que o Estado dialogue com a comunidade, e é o que viemos fazer aqui”, disse. De lá para cá,  Santana pouco tem aparecido em Vicente Pires onde os problemas se avolumam pela falta do governo na região.

Da Redação Radar

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s