Pesquisa mostra que Brasília é a cidade mais preparada para receber turistas que falam inglês

turistas

Estudo desenvolvido em 70 países revela que, no Brasil, os brasilienses são os que melhor se comunicam na língua inglesa

Brasília é a unidade da Federação onde se fala inglês com mais desenvoltura. Com base em estudo do Instituto de Educação Internacional EF — Education First pode-se dizer que o brasiliense se comunica melhor com norte-americanos do que os mineiros, paulistas ou cariocas. São Paulo obteve a segunda melhor média — 53,06. A pesquisa ouviu 910 mil adultos em 70 países e territórios em que a língua inglesa não é o idioma nativo. Foram avaliados gramática, vocabulário, leitura e compreensão, conferindo à capital uma média de 54,17 pontos no Índice de Proficiência em Inglês (EPI). Os números do DF estão acima da média nacional — 51,05 pontos.

Para o secretário Adjunto de Turismo de Brasília, Jaime Recena, há muitos esforços do governo e da sociedade para criar interesse no idioma. “O turismo é hoje um dos setores mais promissores para a geração de empregos no Brasil, o número de turistas estrangeiros que desembarca em nosso País cresce acima da média mundial. Em Brasília, 35% dos visitantes de outros países que chegam à cidade todos os anos são norte-americanos”, diz ele.

“Entendemos que o turismo é um negócio global e extremamente competitivo. O setor coloca profissionais diante de seus clientes para que produtos e serviços possam ser ofertados, e o cenário atual de Brasília está exposto à atenção do mundo, fazendo com que a população precise interagir com turistas estrangeiros em diversas oportunidades. Aqui, entra a importância de um idioma como o inglês”, completa o secretário.

A paulistana gerente de contas Cristina Procópio de Souza observou que, nos bares e restaurantes da capital, é comum encontrar cardápios traduzidos para outros idiomas. “Vim com meu marido, estamos hospedados em Taguatinga, local distante do centro e do turismo. Ainda assim, temos várias opções de atendimento bilíngue”, afirmou

Para o professor de inglês Sérgio Marques, isso ocorre porque o brasiliense está acostumado a frequentar escolas de línguas particulares desde a infância. “Brasília é uma cidade que absorve cultura, até pelos altos rendimentos familiares. Quem pode bancar matricula os filhos”, argumenta. Para ele, o idioma não é mais um diferencial, e, sim, algo básico para o brasiliense. “Hoje, você se impressiona com quem fala três, quatro línguas. Aqui, português e inglês são o mínimo.”

Recena lembra que a Copa do Mundo de 2014 já aqueceu o setor e, com os Jogos Olímpicos de 2016, não será diferente. “A nossa expectativa é que se atenda brilhantemente à demanda deste evento e aumente o fluxo de visitantes que virá como consequência da massiva exposição que o País e suas belezas naturais terão neste período, gerando um ciclo, pois se sabe que é bem comum um estrangeiro que tenha visitado o Brasil voltar com familiares e amigos em outras ocasiões”.

“Estes megaeventos abrem uma oportunidade de promoção do País como destino turístico que muitos anos de campanhas publicitárias em todo o mundo não seriam capazes de proporcionar. E claro, terá destaque quem oferecer ao turista estrangeiro um serviço diferenciado, e falar bem inglês, certamente, faz parte deste diferencial”, conclui o representante do Turismo de Brasília.

 Fonte: Assessoria

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s