Mobilidade é reforçada com investimentos em tecnologia em 2017

Entre ações articuladas para este ano, destacam-se a implementação do bilhete único e o início da operação da faixa exclusiva da EPTG, como prevê o projeto

MARIANA DAMACENO, DA AGÊNCIA BRASÍLIA

O governo de Brasília precisou tomar uma série de medidas para equilibrar o sistema de transporte público e, ao mesmo tempo, compensar anos de falta de investimento no setor. Ações como a diminuição do número de fraudes, o maior controle das gratuidades e os reajustes nas passagens para acompanhar a elevação dos custos do sistema, por exemplo, possibilitarão que neste ano a população sinta vários benefícios ligados à mobilidade no Distrito Federal.

 

Investimento em mobilidade em 2017 inclui a aquisição de novos ônibus com porta do lado esquerdo para utilização na EPTG.
Investimento em mobilidade em 2017 inclui a aquisição de novos ônibus com porta do lado esquerdo para utilização na EPTG. Foto: Tony Winston/Agência Brasília

A lista de investimentos é extensa e envolve avanços que estavam impedidos há décadas, como a utilização do corredor exclusivo para ônibus na Estrada Parque Taguatinga (EPTG), conforme prevê o projeto. A questão será resolvida neste ano, segundo a Secretaria de Mobilidade, com a aquisição dos ônibus adaptados com a porta do lado esquerdo. “O governo deixa de desembolsar um recurso muito grande e passa a ter fôlego para investimentos”, resume o titular da pasta, Fábio Damasceno.

Com a estagnação de quase uma década no valor das tarifas, até setembro de 2015, segundo Damasceno, as concessionárias precisaram conter os gastos e priorizar itens como o pagamento dos salários de seus contratados. “O salário do motorista sobe todo ano cerca de 10%. Cresceu 160% em dez anos”, explica.

“Brasília começa a entrar na era de investimentos em tecnologia para a mobilidade”Fábio Damasceno, secretário de Mobilidade do DF

De acordo com ele, o congelamento impossibilita capacitações dos funcionários, manutenções preventivas da frota e outras ações para a melhoria do serviço. “As empresas tinham que tirar o dinheiro que era do investimento e que o Estado tem o dever de cobrar.”

Mobilidade ligada à tecnologia

Os primeiros resultados de investimento deste ano já devem aparecer a partir do mês que vem. O governo lançará o decreto para a implementação do bilhete único, com o qual o passageiro poderá utilizar a integração de forma semelhante à que ocorre atualmente com o cartão cidadão.

A diferença é que a novidade poderá ser adquirida com maior facilidade, em padarias e farmácias, por exemplo. A recarga poderá ser feita, inclusive, pela internet.

A expectativa, segundo o secretário, é que no futuro a nova ferramenta também possibilite a integração com as bicicletas compartilhadas, além dos ônibus e do metrô. “Brasília começa a entrar na era de investimentos em tecnologia para a mobilidade”, observa.

Decreto do governo vai implementar bilhete único, biometria facial e GPS nos ônibus. Passageiro será informado em tempo real sobre horário das linhas

O mesmo decreto determinará a instalação de biometria facial e de GPS nos ônibus e criará o centro de supervisão operacional, para a gerência do sistema. Isso auxiliará o governo no combate a fraudes e possibilitará que o passageiro seja informado em tempo real sobre o horário das linhas.

Manutenção dos terminais

Além dos 14 terminais inaugurados desde 2015, o governo planeja novas entregas e início de mais obras para 2017, como a do Terminal Asa Norte, bastante esperado por quem passa pela região. Licitação a ser feita pelo Transporte Urbano do DF (DFTrans) possibilitará a abertura de quatro estações do Expresso Sul, que permanecem fora de operação desde que esse sistema começou a funcionar.

Também no primeiro semestre, serão entregues seis novos ônibus movidos a biodiesel. O combustível emite menos gases que agravam o efeito estufa e se juntarão a outros nove que começaram a rodar no dia 12. Os veículos não têm escada, contam com piso baixo, ar-condicionado, câmbio automático, motor traseiro, carroceria moderna e velocidade controlada para 60 quilômetros por hora.

Outra medida bastante aguardada pela população é a renovação da frota das cooperativas que, segundo Fábio Damasceno, não é trocada há quase dez anos. Já em fevereiro, a ideia é entregar cerca de novos 30 micro-ônibus à comunidade.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s