Vale a pena assistir a Bela e a Fera?!

Film Review Beauty and the Beast

Ontem assisti ao filme A Bela e a Fera, recriação do desenho animado lançado em 1991 pela Disney. Encantador, inclusivo, mágico. Saí inebriada do cinema. Quem nunca…

Pra começar, que elenco primoroso! Emma Watson é cativante, doce, brilhante atriz, profunda. Dan Stevens deixa sua marca durante todo o filme. Quem o assistiu em Downton Abbey vai entender o que estou dizendo. Mesmo nos momentos de computação gráfica, ele estava lá. Tudo bem que eu prefiro um príncipe menos clássico, mais fera, tipo um Hugh Jackman, mas não estamos falando de Logan, então compreendo, sim, a intenção da Disney em manter a figura do príncipe tradicional. E a parceria de Emma Watson e Dan Stevens deu muito certo. Sua beleza clássica se torna apaixonante através do olhar de Bela.

Confesso que fui desinformada ao cinema, ter filho pequeno toma a vida. Não sabia da participação de Ian McKellen, Emma Thompson e Ewan McGregor. Poxa, que surpresa maravilhosa. E que toque final!

Além da temática já conhecida da Bela como uma menina à frente de seu tempo, intelectual e empoderada, o filme é inclusivo como deve ser a vida, não é mesmo?! Temos Josh Gad interpretando um homossexual muito divertido e o contrapeso para a agressividade e burrice de Gaston, personagem perfeito de Luke Evans que, por sinal, deixa uma dúvida (ou não) sobre uma possível bissexualidade, para os mais atentos. E mais, sutilmente outro personagem se descobre muito mais à vontade travestido no final da trama.

Há também três importantes personagens interpretados por atores negros: Gugu Mbatha-Raw, Audra McDonald e o dono da livraria (não consegui encontrar seu nome). Um retrato da realidade no meu ponto de vista, afinal brancos, negros, amarelos, enfim, estamos juntos e misturados há séculos.

Kevin Kline interpreta o pai de Bela. Analisando mais profundamente, nos deparamos com um pai amoroso e forte, que criou sozinho sua filha e não abre mão da felicidade dela nem quando ameaçado, diferentemente dos clássicos “João e Maria”, “Cinderela”, “Rapunzel” e “Branca de Neve”.

A Disney mais uma vez teve uma ótima sacada e soube empregar muito bem seus recursos num filme lindo, romântico e emocionante. Não percam!

 

Mônica Moraes

Cristiano Araújo homenageia mídia comunitária do DF

Cristiano-Araújo

Profissionais de mídia comunitária do Distrito Federal terão agora um dia para chamar de seu. É que a Câmara Legislativa aprovou o Projeto de Lei 1.529/2013, de autoria do deputado Cristiano Araújo (PSD), que institui o Dia da Mídia Comunitária e o inclui no calendário oficial de eventos do DF, para ser comemorado em 13 de agosto. A proposta agora segue para sanção do governador Rodrigo Rollemberg.

Não é novidade para ninguém que os veículos de comunicação de mídia comunitária fazem parte do cotidiano das pessoas e desempenham papel de relevância na sociedade, ao divulgar informação com rapidez, independência e acessível a todos.

Esse tipo de comunicação, também chamada de mídia alternativa, divide com a escola não só o papel de ensinar, mas também de formar o cidadão. A rádio, a web TV, a revista e o jornal comunitários, além da Internet – com suas redes sociais, blogs, sites e demais canais – podem auxiliar na formação intelectual das pessoas, levando-lhes informação e cultura.

Cristiano argumenta que, em sua grande maioria, essas mídias cumprem esse importante papel de maneira gratuita, garantindo o acesso à informação aos mais diversos setores da sociedade. “A instituição do ‘Dia das Mídias Comunitárias’, além de servir como uma justa homenagem aos profissionais que assumem esse trabalho quase que como uma missão, garantirá a eles um dia de mobilização e divulgação do seu ofício”, afirma o parlamentar.

Fonte: Blog Sandro Gianelli

CAESB CONCEDE DESCONTO PARA QUEM ECONOMIZOU ÁGUA EM 2016

Medida estabelece devoluções a partir deste mês. Ideia é oferecer incentivo à redução do consumo para diferentes perfis. Benefício é de quase R$ 12 milhões

economia_agua_caesb_agencia_brasilia

A Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) concederá, a partir deste mês, desconto de 20% na diferença da economia de água feita por consumidores em 2016. Serão R$ 11.919.713,30 em benefícios, distribuídos entre 511.537 unidades em todo o DF. As devoluções serão aplicadas nas faturas em única parcela e de acordo com oito faixas de redução de consumo.

O cálculo para concessão do desconto é a comparação do consumo mensal de 2016 em relação ao mesmo mês no ano anterior. A companhia avalia o volume aferido em determinado mês, em ambos os períodos e, então, aplica os 20% na diferença entre os dois registros. Esse valor é multiplicado pelo preço da tarifa, e o resultado é o valor do bônus.

Por exemplo, se o consumo em janeiro de 2015 foi de 20 metros cúbicos e em 2016, de 3 metros cúbicos, deve-se multiplicar 3,4 (20% da diferença) por 2,86 (valor da tarifa residencial popular). Nesse caso, o bônus seria de R$ 9,72.

Os consumidores da Caesb que têm direito ao bônus foram avisados por meio da fatura de fevereiro deste ano.

Este é o sétimo ano de aplicação do programa de descontos. Ele tem o objetivo de estimular a economia de água, em especial neste período de crise hídrica. “É uma forma de mostrar ao consumidor que esse é um recurso precioso e, por isso, deve ser preservado”, explica a superintendente de comercialização da Caesb, Adeilde Araújo.

Para o próximo ciclo de bônus-desconto, é esperada uma queda ainda mais acentuada no consumo. “Acreditamos que haverá maior concessão de benefícios em razão da campanha de conscientização a respeito da crise hídrica que estamos fazendo. A cada ano, percebemos uma evolução na redução do consumo”, afirma Adeilde.

A iniciativa é amparada pela Lei nº4.341, de 22 de junho de 2009, e pela Resolução nº 6 da Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa), de 5 de julho de 2010.

Calendário para concessão dos bônus-desconto vai até janeiro de 2018
Com o objetivo de manter valores de devolução similares durante todo o ano, a empresa estabeleceu um cronograma de repasses de acordo com a quantidade de beneficiados e o quanto deve ser abatido da conta.

No primeiro mês, serão devolvidos os bônus inferiores a R$ 9. Eles representam a maior parte dos benefícios — 234.993 consumidores ou R$ 1.024.545,81 em abatimentos.

Veja o calendário de concessão dos descontos:
Março de 2017
Valores menores que R$ 9
234.993 consumidores
R$ 1.024.545,81 em devoluções

Abril de 2017
Valores de R$ 9 a R$ 15
98.051 consumidores
R$ 1.150.274,56 em devoluções

Maio de 2017
Valores de R$ 15 a R$ 22
60.694 consumidores
R$ 1.109.715,98 em devoluções

Junho de 2017
Valores de R$ 22 a R$ 30
39.252 consumidores
R$ 1.007.351,91 em devoluções

Julho de 2017
Valores de R$ 30 a R$ 42
30.864 consumidores
R$ 1.087.686,71 em devoluções

Agosto de 2017
Valores de R$ 42 a R$ 60
20.772 consumidores
R$ 1.029.930,73 em devoluções

Setembro de 2017
Valores de R$ 60 a R$ 100
14.727 consumidores
R$ 1.107.898,34 em devoluções

Outubro de 2017
Valores de R$ 100 a R$ 220
7.815 consumidores
R$ 1.093.084,91 em devoluções

Novembro de 2017
Valores de R$ 220 a R$ 600
3.059 consumidores
R$ 1.065.697,07 em devoluções

Dezembro de 2017
Valores de R$ 600 a R$ 2 mil
1.049 consumidores
R$ 1.047.864,18 em devoluções

Janeiro de 2018
Valores maiores que R$ 2 mil
261 consumidores
R$ 1.195.663,10 em devoluções

Fonte: AGÊNCIA BRASÍLIA Por: MARYNA LACERDA

Chico Leite sugere ao GDF criação da Ronda Maria da Penha no DF

A proposta visa aperfeiçoar o trabalho da rede de proteção à mulher vítima de violência doméstica, ampliando o atendimento aos casos que se encontram sob medida protetiva com a criação de uma ronda específica da PMDF
atendimento a mulher
Indicação Legislativa de autoria do deputado Chico Leite (Rede Sustentabilidade) apresentada na Câmara Legislativa, na quarta-feira (8), sugere ao governador a adoção da Ronda Maria da Penha no Distrito Federal. Trata-se da criação de uma ronda específica da Polícia Militar para acompanhar mulheres sob medida de proteção judicial. “Nossa sugestão ao GDF tem o intuito de seguirmos o bem-sucedido exemplo dos estados da Bahia e Rio Grande do Sul, que têm desenvolvido essa ação importante em prol de garantir mais segurança às mulheres que já sofreram algum tipo de violência doméstica ou familiar”, explica.

A Ronda Maria da Penha já existe nos estados da Bahia e Rio Grande do Sul, onde é prevista a cooperação mútua entre órgãos estatais para promover a capacitação de policiais militares que farão o acompanhamento, além da qualificação e atendimento, apoio e orientação nas ocorrências policiais que envolvam mulheres vítimas de violência doméstica, a fim de reprimir atos de violações de dignidade do gênero feminino no enfrentamento à violência doméstica e familiar. Além disso, visa garantir o cumprimento de medidas protetivas de urgência e a dissuasão e repressão ao descumprimento de ordem judicial, bem como o encaminhamento das vítimas à rede de atendimento à mulher vítima de violência doméstica.

Chico Leite destaca que a proposta visa aperfeiçoar o trabalho da rede de proteção à mulher, tendo em vista que não são raros os casos nos quais mulheres que registraram ocorrência policial em razão da violência familiar sofrida, e mesmo com medida protetiva obtida na esfera judicial, acabaram vítimas de nova violência, muitas vezes fatal.
Fonte: Site Chico Leite

A importância do Fundo Nacional de Enfrentamento à Violência contra a Mulher

violencia m

A cada quatro minutos uma mulher é vítima de violência. Em 12 minutos, acontece um estupro de uma menina ou/e mulher. Por esses números, o Brasil ocupa o 5º lugar no ranking de violência contra a mulher.

Uma importante iniciativa está pronta para votação na Câmara dos Deputados: o PL 7371/14, que cria o Fundo Nacional de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher. O Fundo receberá dinheiro do orçamento, de doações, de convênios e de seus rendimentos para investir em políticas de combate à violência contra a mulher, como assistência a vítimas; medidas pedagógicas e campanhas de prevenção, entre outros benefícios.
Esse recurso será fundamental para garantir a continuidade de ações que visam o apoio e acolhimento das mulheres vítimas de violência, como a Casa da Mulher Brasileira e casas abrigo, além da implementação de medidas para reeducação e responsabilização do autor de violência, entre outras iniciativas.
“A aprovação desse projeto é muito importante para fortalecermos as políticas para as mulheres, trabalhando principalmente a prevenção. Precisamos urgentemente combater a violência, reduzir os altos índices de feminicídio e violências diversas que vitimizam milhares de mulheres em todo o país. E por termos consciência da importância do projeto é que defendemos sua aprovação urgente.”, argumenta Fátima Pelaes, secretária Nacional de Política para as Mulheres (SPM/MDH).

Conheça a lei

 

O Projeto de Lei 7371/14 foi criado na CPI Mista da Violência contra a Mulher. O PL  já foi aprovado, em 2014 no Senado Federal, e desde então é debatido na Câmara dos Deputados.

O texto prevê que, por meio de mecanismos contábeis, seja possível o financiamento de projetos para a proteção à mulher e prevenção à violência doméstica e familiar, independente de classe social, raça, etnia, orientação sexual, renda, cultura, educação, idade e religião.

Sua finalidade vem de encontro as ações do Plano Nacional de Políticas para as Mulheres.

 

Como funciona?

Os recursos do Fundo Nacional de Enfrentamento à Violência Contra as Mulheres serão provenientes de valores orçamentários autorizados, da Lei Orçamentária da União; doações, contribuições, valores e bens e imóveis recebidos de organismos ou entidades nacionais e/ou internacionais; recursos de convênios, contratos ou acordos firmados com entidades públicas, privadas, internacionais ou estrangeiras; rendimentos de qualquer natureza decorrentes de aplicação do patrimônio do Fundo Nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres; saldos de exercícios anteriores; recursos que lhe forem destinados.

 

O Fundo irá financiar implementação, reforma e manutenção dos serviços e equipamentos, como Ligue 180, os serviços que garantam os direitos e assistência às mulheres vítimas de violência, medidas de prevenção e campanhas educativas, programas de assistência jurídica, entre outras ações.
É importante saber

 

Diferente do que vem sendo divulgado por algumas pessoas nas redes sociais o fundo não será usado para financiar ou legalizar o aborto no Brasil.

 

Fonte: Secretaria Especial de politicas Públicas para as Mulheres

Iniciativa privada poderá gerir Parque de Exposições Agropecuárias Granja do Torto

Concessionário deve investir R$ 71 milhões em até dois anos e meio em melhorias nas instalações do espaço. Rollemberg assinou o edital de licitação nesta quinta-feira (23)

GUILHERME PERA, DA AGÊNCIA BRASÍLIA

O governo de Brasília lançou o edital do Parque de Exposições Agropecuárias Granja do Torto a empresários interessados em administrar o espaço. A previsão é que a abertura dos envelopes com as propostas ocorra em 6 de abril deste ano. O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, assinou o edital de licitação em solenidade nesta quinta-feira (23), no Palácio do Buriti. O documento será publicado no Diário Oficial do Distrito Federal.

parque-granja

Governador Rollemberg lancou o edital de licitação do Parque de Exposições Agropecuárias Granja do Torto nesta quinta-feira (23), no Palácio do Buriti.
Governador Rollemberg lancou o edital de licitação do Parque de Exposições Agropecuárias Granja do Torto nesta quinta-feira (23), no Palácio do Buriti. Foto: Mary Leal/Agência Brasília

A ideia é firmar parceria com a iniciativa privada por 30 anos, prorrogáveis por mais 30. O concessionário deverá investir R$ 71 milhões em até dois anos e meio em melhorias nas instalações do parque para tornar o uso do espaço mais eficiente.

Rollemberg destacou a magnitude do empreendimento. “O edital vem para revitalizar o Parque de Exposições Agropecuárias Granja do Torto e reúne vocações da nossa cidade, como a de ser um grande centro de eventos científicos, rurais e pecuários”, disse.

A proposta é ter atividades diárias, receber grandes eventos e ser um ponto de lazer para a comunidade

Caberá ao parceiro privado reformar equipamentos, mantê-los e potencializar a cultura agropecuária. A proposta é ter atividades diárias, receber grandes eventos e ser um ponto de lazer para a comunidade. O governo prevê a instalação de um parque vivencial de 12 hectares, a construção de um centro de pesquisa e de uma vitrine tecnológica agropecuária.

Parque de Exposições Agropecuárias Granja do Torto

O parque ocupa uma área de 74 hectares, o que equivale a cerca de 74 campos oficiais de futebol. O uso é destinado para atividades de bovinocultura, equideocultura, caprinocultura, ovinocultura, apicultura, avicultura, entretenimento, capacitação, exposições e leilões.

Além da destinação já citada, há a possibilidade de prestação de serviços, produção e comercialização de material genético, pesquisa e inovação, ensino e capacitação e produção e comercialização de insumos. Atividades complementares à agropecuária, nos ramos alimentício, bancário e hoteleiro, complementarão as atividades.

O Parque de Exposições Agropecuárias Granja do Torto integra a lista de prioridades para parcerias com a iniciativa privada do governo de Brasília.

Entrega de terreno para a Embrapa Hortaliças

Além do lançamento do edital, houve hoje a entrega de uma área de 896 hectares para a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). O terreno, no Recanto das Emas, é utilizado pela empresa do governo federal para pesquisas desde 1987 e abriga a Embrapa Hortaliças. Apesar do longo tempo instalada no local, não havia segurança jurídica, porque a área não havia sido transferida do DF para a União.

Rollemberg ressaltou a importância da empresa. “A Embrapa é uma instituição estratégica para o Brasil, pois tem produzido muita riqueza para a população por meio do conhecimento.”

“Este governo sabe a importância da ciência, da tecnologia e da inovação”, disse o presidente da Embrapa, Maurício Antônio Lopes. “A criação do Biotic – Parque Tecnológico, a revitalização do Parque de Exposições Agropecuárias Granja do Torto e a segurança jurídica para a Embrapa representam avanço.”

EDIÇÃO: PAULA OLIVEIRA

Liliane Roriz quer evitar apreensões de carros com IPVA vencido

tar_9338_1

 

Vários são os motivos para que um veículo seja apreendido nas ruas. Mas, para a deputada distrital Liliane Roriz (PTB), a inadimplência com o IPVA não deve ser motivo para que um carro seja apreendido. É o que diz o Projeto de Lei (PL) apresentado pela parlamentar na Câmara Legislativa.

Hoje, se um carro for parado em uma blitz e o motorista estiver alcoolizado, o veículo é apreendido, caso não haja mais ninguém para conduzir o veículo. Se um motorista for parado em uma blitz e tiver sem o licenciamento obrigatório em dia, o carro também é apreendido. O mesmo acontece quando os agentes de fiscalização de trânsito detectam carro com excesso de multas não pagas. Transitar com veículo sem ter pago o IPVA também é motivo para que o motorista fique sem seu carro.

Mas, de acordo com Liliane Roriz, “não cabe ao poder público utilizar-se de meios abusivos para receber os tributos devidos, tomando para si a propriedade do cidadão”. Ela lembra que o IPTU, por exemplo, que também é um tributo que deve ser pago ao governo, não dá o direito de um agente do poder público entrar na casa de quem está com o IPTU atrasado e mandar que eles saiam para lacrar a residência. “Para cobrar tanto o IPTU quanto o IPVA, o governo deve-se utilizar o devido processo legal, cobrar multas, colocar o nome do contribuinte na dívida ativa, ajuizar ações de cobrança, mas não penalizá-lo apreendendo um bem”, critica a distrital.

O projeto de lei já está tramitando na Câmara Legislativa e, caso vire lei, evitará as apreensões de veículos pelo simples fato de estar com o IPVA atrasado. “Meu projeto, vale lembrar, não beneficia, em nenhum momento, motoristas alcoolizados, nem aqueles que não pagaram o licenciamento obrigatório – que não é um tributo. Estes continuarão a sofrer penalidade de apreensão caso sejam abordados em blitzes”.

Segundo Liliane, o PL evita que o veículo do cidadão seja apreendido sem motivo justo. “Toda pessoa que tem um carro deve pagar o IPVA, isso é lei. Não questionamos isso. Mas tem pessoas que por motivo ou outro acabaram não tendo dinheiro para pagar o tributo e estão com o IPVA atrasado. Não seria justo apreender o carro dessa pessoa, sendo que existem outras formas de o governo garantir que um imposto seja cobrado do cidadão”, explica a parlamentar.

Fonte: Assessoria

 

PSB e seu “presidente”: O viajante

recena
Parece que o Partido Socialista do DF não vive dias radiantes depois que trocou de presidente. Segundo fontes, Jaime Recena gosta muito de cuidar do seu futuro político e não vem sendo atuante e receptivo com os seus correligionários.
Convidado a participar de eventos dos futuros pré-candidatos do partido, Jaime não dá sequer sinais de uma possível vaga em sua agenda. Só comparece mesmo nos eventos da Secretária Adjunta de Turismo. O que preocupa a muitos, é que o partido hoje tem uma nominata forte para deputados distritais, mas se continuar sem muita interlocução com os mesmos poderá perdê-los brevemente.
Parece que o Governador não acertou quando tirou Marcos Dantas da presidência do partido ao colocar alguém que não sabe lidar com as costuras dos bastidores da política.
Fica um lembrete à Jaime Recena: em um partido político ninguém se elege sozinho. A vitória vem da soma de todos os candidatos! Fica a dica.
Cris Oliveira

Secretaria de Saúde tem novo Secretário Adjunto

ismael-alexnadrino

Dr. Ismael Alexandrino foi nomeado para Secretário Adjunto da Secretaria de Saúde. O conhecido médico atuava como superintendente de saúde da região sul e ficou conhecido pela população do Gama por ser receptivo e atuante nas demandas apresentadas pelos conselhos e pela população.  O novo Adjunto da SES-DF vai atuar ao lado do Secretário de Saúde Dr. Humberto Lucena, que está trabalhando para compor uma equipe de gestão nova, visando mudar o rumo da Secretaria tão perseguida pela corrupção. A Saúde do DF merece um fôlego novo com um time de cabeça pensantes, que queiram fazer a diferença planejada se tornar realidade nos hospitais do DF. A indicação do médico para o cargo foi de amigos do PSB-DF, que acreditam em dias melhores para a Saúde do DF.

 

Cris Olivera

Setor Habitacional Tororó começa a ver resultado das reuniões com Alessandro Paiva

alessandro

Situado em uma parte do Jardim Botânico, o Setor Habitacional Tororó, que tem hoje 12 mil habitantes, começa a ser contemplado pelo Governo de Brasília. Após várias reuniões com a comunidade, o Administrador Regional do Jardim Botânico Alessandro Paiva conheceu de perto os problemas enfrentados pela população abrigada no setor que tem mais de 14 anos de existência.

Entre as demandas, a limpeza da DF 140 – uma das reivindicações dos moradores na ultima reunião – já começou a ser solucionada nesta quarta-feira dia 08 pela NOVACAP. Para o administrador Alessandro Paiva, as benfeitorias que estão vindo para o Setor Habitacional Tororó darão um novo ar ao local, que foi esquecido por governos passados.

Cris Oliveira

Mobilidade é reforçada com investimentos em tecnologia em 2017

Entre ações articuladas para este ano, destacam-se a implementação do bilhete único e o início da operação da faixa exclusiva da EPTG, como prevê o projeto

MARIANA DAMACENO, DA AGÊNCIA BRASÍLIA

O governo de Brasília precisou tomar uma série de medidas para equilibrar o sistema de transporte público e, ao mesmo tempo, compensar anos de falta de investimento no setor. Ações como a diminuição do número de fraudes, o maior controle das gratuidades e os reajustes nas passagens para acompanhar a elevação dos custos do sistema, por exemplo, possibilitarão que neste ano a população sinta vários benefícios ligados à mobilidade no Distrito Federal.

 

Investimento em mobilidade em 2017 inclui a aquisição de novos ônibus com porta do lado esquerdo para utilização na EPTG.
Investimento em mobilidade em 2017 inclui a aquisição de novos ônibus com porta do lado esquerdo para utilização na EPTG. Foto: Tony Winston/Agência Brasília

A lista de investimentos é extensa e envolve avanços que estavam impedidos há décadas, como a utilização do corredor exclusivo para ônibus na Estrada Parque Taguatinga (EPTG), conforme prevê o projeto. A questão será resolvida neste ano, segundo a Secretaria de Mobilidade, com a aquisição dos ônibus adaptados com a porta do lado esquerdo. “O governo deixa de desembolsar um recurso muito grande e passa a ter fôlego para investimentos”, resume o titular da pasta, Fábio Damasceno.

Com a estagnação de quase uma década no valor das tarifas, até setembro de 2015, segundo Damasceno, as concessionárias precisaram conter os gastos e priorizar itens como o pagamento dos salários de seus contratados. “O salário do motorista sobe todo ano cerca de 10%. Cresceu 160% em dez anos”, explica.

“Brasília começa a entrar na era de investimentos em tecnologia para a mobilidade”Fábio Damasceno, secretário de Mobilidade do DF

De acordo com ele, o congelamento impossibilita capacitações dos funcionários, manutenções preventivas da frota e outras ações para a melhoria do serviço. “As empresas tinham que tirar o dinheiro que era do investimento e que o Estado tem o dever de cobrar.”

Mobilidade ligada à tecnologia

Os primeiros resultados de investimento deste ano já devem aparecer a partir do mês que vem. O governo lançará o decreto para a implementação do bilhete único, com o qual o passageiro poderá utilizar a integração de forma semelhante à que ocorre atualmente com o cartão cidadão.

A diferença é que a novidade poderá ser adquirida com maior facilidade, em padarias e farmácias, por exemplo. A recarga poderá ser feita, inclusive, pela internet.

A expectativa, segundo o secretário, é que no futuro a nova ferramenta também possibilite a integração com as bicicletas compartilhadas, além dos ônibus e do metrô. “Brasília começa a entrar na era de investimentos em tecnologia para a mobilidade”, observa.

Decreto do governo vai implementar bilhete único, biometria facial e GPS nos ônibus. Passageiro será informado em tempo real sobre horário das linhas

O mesmo decreto determinará a instalação de biometria facial e de GPS nos ônibus e criará o centro de supervisão operacional, para a gerência do sistema. Isso auxiliará o governo no combate a fraudes e possibilitará que o passageiro seja informado em tempo real sobre o horário das linhas.

Manutenção dos terminais

Além dos 14 terminais inaugurados desde 2015, o governo planeja novas entregas e início de mais obras para 2017, como a do Terminal Asa Norte, bastante esperado por quem passa pela região. Licitação a ser feita pelo Transporte Urbano do DF (DFTrans) possibilitará a abertura de quatro estações do Expresso Sul, que permanecem fora de operação desde que esse sistema começou a funcionar.

Também no primeiro semestre, serão entregues seis novos ônibus movidos a biodiesel. O combustível emite menos gases que agravam o efeito estufa e se juntarão a outros nove que começaram a rodar no dia 12. Os veículos não têm escada, contam com piso baixo, ar-condicionado, câmbio automático, motor traseiro, carroceria moderna e velocidade controlada para 60 quilômetros por hora.

Outra medida bastante aguardada pela população é a renovação da frota das cooperativas que, segundo Fábio Damasceno, não é trocada há quase dez anos. Já em fevereiro, a ideia é entregar cerca de novos 30 micro-ônibus à comunidade.

Poderes engessados, planos frustrados:

 

mumia

A Câmara Legislativa tem sempre a mesma prática em todos os mandatos: barganhar o poder que tem com o executivo, deixando de lado sua principal função, que é de fiscalizar.

Todo governo que ganha a eleição no DF passa pela prova com a casa do “povo”, que ao barganhar cargos faz de refém Secretarias, administrações e empresas da estrutura do Governo de Brasília, atuando em um verdadeiro sequestro dos Planos de Governo, que o povo aprovou e elegeu.

Os poderes foram criados com a finalidade de serem harmônicos, porém separados, para que não usurpem das suas funções. É o que prevê a Constituição Federal. O mecanismo de controle é recíproco, garantindo o Estado de Democracia. Seria maravilhoso se fosse verdade!

Na realidade Brasília e, também, o Brasil encontram-se atualmente com os poderes engessados, principalmente o legislativo. Os parlamentares na maioria dos casos necessitam de fazer a famosa “retirada do dinheiro gasto na campanha eleitoral”, se esquecendo de suas funções. Se vendem nos privilégios das pastas da máquina pública, e ficam às ordens do executivo, na barganha de cargos e privilégios que beneficiam a minoria e acabam com a população, hoje amordaçada e sem voz com os que eram para ser seus representantes.

A maioria da população ainda não percebeu que a nova prática do engessamento tira do cidadão o direito de reivindicar dos seus representantes eleitos, assim como retiram também a oportunidade do executivo exercer seu plano de governo, que na maioria das vezes não está de acordo com os indicados nomeados pelos parlamentares. Assim ficamos longe de ver as expectativas do povo que votou e elegeu o executivo se tornarem realidade. Lidamos com governos loteados para adversários políticos, que trabalham sempre para travar tudo e assim consequentemente eleger seu futuro governador. Uma rotatividade de intrigas que vem gerando o retrocesso da Cidade.

 

Cris Oliveira

Casa da Benção: Fake ligando o trilho da verdade à lista da Lava jato

missionario

Se o trilho é usado para levar o trem ao seu destino, na Igreja Casa da Benção não está sendo bem assim. No facebook do evangelista Rogério Júnior, encontramos críticas ao novo estilo da Igreja, que perdeu seu visionário Apóstolo Doriel de Oliveira. O Trilho Vencedor é uma modalidade que enriquece e aumenta o número de fiéis em São Paulo, mas o trem deve parar por lá mesmo, segundo o suposto Rogério Júnior. O Trilho, que é um estilo célula de evangelizar, não acompanha as vertentes em que a Casa de Oração foi fundada.

A Casa da Benção sempre foi reconhecida pelo mover do Espírito Santo com curas e milagres, o que deu origem ao grande ministério que é reconhecido mundialmente com suas mais de 3 mil Igrejas. Mas após o falecimento do seu fundador a coisa anda meio estranha. Parece que o “coaching” da palavra de Deus não vem ganhando muita força. Que ciclo é este que se abre na Igreja e não respeita suas origens? Essa vem sendo a pergunta de muitos que congregam na Casa da Benção.

Se Rogério Júnior é fake eu não sei, mas que ele escala os Pastores da Casa da Benção como muitos gostariam de fazer é verdade. Outro que não está nas graças do povo do ICB-DF é o presidente Missionário Jair de Oliveira. De acordo com algumas notícias, o atual presidente da ICB andou de avião demais e foi parar na lista de Eduardo Cunha. Uma coisa é certa, depois que se morre, as coisas mudam. O respeito que tinham pela fundadora Missionária Ruth, esposa do Apóstolo Doriel e fundadora da Igreja, hoje é mínimo. Mas como sabemos e cremos que Deus está no Controle, nos resta orar por essa linda história que foi consolidada e vivida por muitos.

 

Cris Oliveira

 

UBER sofre represália e fica proibido de pegar passageiros no Aeroporto

pmdf-uber

 

Após a prisão de um motorista do UBER no Aeroporto, a pressão piorou para os motoristas e usuários do aplicativo que vem sendo a solução em todo o Brasil. Na manhã desta quinta-feira 19, o Aeroporto amanheceu lotado de policiais proibindo os passageiros de se dirigirem aos carros de UBER no local.

Para o advogado Dr Herbert Alencar Cunha, a prisão do motorista e a restrição do uso do UBER no Aeroporto soaram como represália da Polícia Militar de Trânsito. Estamos esperando uma resposta do Comando Geral da PMDF e uma solução viável pacífica, para que a categoria atue e continue servindo àqueles que desembarcam no local.

Os motoristas de UBER estão unidos em uma Associação para serem recebidos pelo governador Rodrigo Rollemberg (PSB), principal padrinho da regularização do aplicativo no DF.

Cris Oliveira

 

 

 

AS MÚLTIPLAS REPRESENTAÇÕES DA CRIMINALIDADE E DA VIOLÊNCIA

violencia-df

O atual contexto brasileiro aponta para um momento em que a realidade desafia e provoca pânico nos cidadãos brasileiros, quando se deparam com o fenômeno da violência. Os meios de comunicação de massa, em suas diferentes formas de manifestação, invadem cotidianamente nossos sentidos com espetáculos de horror que ora sinalizam a barbárie, ora nos colocam nas vésperas ou antevésperas de uma guerra civil, produzindo um deslocamento nos conteúdos do imaginário social, pelo qual o mito do “homem cordial” vai cedendo espaço à “lei do mais forte” e aos imperativos do “salve-se quem puder e como puder”.

É um mundo moderno frágil, dotado de incertezas onde são precários os limites e fronteiras entre o conhecido e o desconhecido, entre a ordem e a desordem, entre o racional e o irracional. O que se percebe é que a violência não é episódica nem acidental, pois está inscrita na estrutura da sociedade. Em segundo lugar, a noção de violência estrutural costuma estar associada à negação de direitos básicos dos cidadãos, o que exerceria um efeito indireto sobre a violência física. Na verdade, os cidadãos estão sendo privados de direitos, e consequentemente expostos a um risco maior de sofrer ou cometer agressões.

A violência grassa as praças, as escolas, os campos de futebol, as penitenciárias, as boites, e a vida familiar de cada cidadão. O mundo contemporâneo é marcado pela insegurança, a desconfiança e o medo, sentimentos provocados pelos mais diversos tipos de violência. A criminalidade se tornou um fenômeno social, um fato próprio da existência humana, portanto fato social que nos causa mal estar. Violência e criminalidade sempre fizeram parte da convivência humana. O papel de cada instituição é evitar que seus índices cheguem a uma situação insustentável, como a que estamos vivenciando, a ponto de impedir a garantia do Estado Democrático de Direito. Todos os Estados brasileiros estão com índices alarmantes de violência. Não existe um único lugar seguro para se esconder, nem nos rincões mais distantes das zonas rurais, pode-se desfrutar de paz e segurança.

A Declaração Universal dos Direitos Humanos, dos Direitos da Criança, a Constituição Federal, e o Estatuto da Criança e do Adolescente estão sendo violados, pelas pessoas ou instituições que deveriam ter a missão de zelar pela vida e pela integridade de cada cidadão, assim como por suas famílias.

As múltiplas representações da criminalidade e da violência são emblemáticas porque estão inseridas no cotidiano de cada indivíduo, convertendo-se em uma das principais preocupações internacionais. A violência é um dos mais graves problemas que aflige as sociedades modernas. Entendendo violência no sentido amplo, pode-se interpretar crime organizado, homicídios, terrorismo, brutalidade policial, violência doméstica e no trabalho, como subdivisões do tema geral violência.

O desafio atual é buscar urgentemente diminuir os níveis de violência no Brasil, com um programa que resgate a paz, a segurança e a confiança do cidadão. Numa parceria com os governos estaduais e municipais, com os três poderes, a sociedade civil, e através da construção de uma rede de parcerias internacionais, mobilizar a sociedade, aumentando a conscientização e a educação para uma cultura de paz. O objetivo é encontrar os meios adequados para atitudes civilizadas, valores e comportamentos, que promovam o bem-estar, a justiça social, e a solução não violenta de conflitos.

A inclusão social deve ser feita através da Educação, que em sua dimensão social se aplica às situações de emergência e de invisibilidade, em espaços onde se manifestam sintomas de pobreza, drogadição, exclusão, culturas de violência. As manifestações de violência são sintomas recorrentes de um mal-estar social que subsiste na sociedade. Sociedades violentas colhem os frutos de uma cultura de violência subjacente às relações sociais que nela intercorrem.

Se existem problemas nas penitenciárias, no trânsito, nas zonas urbanas onde há uma verdadeira explosão demográfica ocasionada pela migração interna, pela busca por oportunidades de trabalho, acesso à saúde, à educação e moradia, percebe-se, claramente, a falência do Estado.

A população não aguenta mais as desculpas dos governantes, e a negação de direitos fundamentais por uma estrutura governamental inepta, que não age em prol do cidadão, mas em beneficio próprio.  Condicionantes culturais e estruturais como a desigualdade e a exclusão social, reforçam os comportamentos antissociais, e trazem no seu bojo o desespero ante um futuro incerto, que espelha uma situação de abandono, especialmente para jovens envolvidos com a dependência de drogas, para grupos em situação de risco de envolvimento em culturas de gangues e de violência.

Os problemas fundamentais dos mais empobrecidos membros da sociedade no Brasil revelam o desespero, representado pela “miserabilidade” de um coletivo de pessoas, que testemunha o abismo entre polícia e juventude. Uma população traída pelas promessas de uma vida melhor, pela ausência de perspectivas de sobrevivência e oportunidades de inserção profissional no sistema capitalista.

Fonte:

Leila Bijos

Doutora em Sociologia do Desenvolvimento, Universidade de Brasília, pós-Doutora em Sociologia e Criminologia, Saint Mary’s University, Canadá. Professora Adjunta do Departamento de Sociologia e Criminologia da Saint Mary’s University, da Tsukuba University, Japão, e da Universidade da Califórnia em San Diego (UCSD). Professora do Mestrado em Direito da Universidade Católica de Brasília. Coordenadora do Grupo de Pesquisa em Política Internacional.

E-mail: leilabijos@gmail.com

 

 

 

Lei de regularização fundiária prioriza estímulo ambiental

zooneamento
Estímulos à conservação ambiental e adequação ao Zoneamento Ecológico-Econômico foram incluídos na nova norma

(Brasília, 16/1/2017) – Lei Distrital 5803/2017, publicada na quinta-feira (12) no Diário Oficial do Distrito Federal estabelece a política de regularização fundiária de terras públicas rurais e inclui regras de estímulo à conservação ambiental. Com as novas regras, a regularização terá, por exemplo, que se adequar às diretrizes do Zoneamento Ecológico-Econômico (ZEE), quando este for transformado em lei.

A nova lei também permite que as terras sejam regularizadas para particulares que queiram conservá-las. “Acaba com a regra de que regularização só existe para fins agropecuários, o que era um estímulo perverso para desmatamento de terras pouco aptas à produção agrícola”, afirmou o chefe da Assessoria Jurídico-Legislativa da Secretaria do Meio Ambiente, Raul do Valle.

O texto prevê desconto de até 20% no valor da venda de áreas da Terracap legal ou voluntariamente protegidas com vegetação nativa (conforme art. 12, §3° e Art. 16 – II). Essa norma gera um incentivo à conservação ou recuperação do cerrado, avalia Valle, que participou da elaboração da lei.

“A intenção é mostrar para os produtores rurais que poderão ter as terras regularizadas para a conservação ambiental sem precisar desmatar para promover a agricultura”, afirmou o assessor. “Os produtores poderão ser também beneficiados”, ressaltou. O decreto 37.931 do dia 30 de dezembro de 2016 estabeleceu quais serão os benefícios, que trata do Programa de Regularização Ambiental (PRA).

PRA

O programa de regularização ambiental do DF inova ao criar prêmios aos produtores rurais que, além de produzirem alimentos, ainda conservam os recursos naturais. O objetivo da regra é reconhecer os serviços ambientais que esses produtores oferecem à sociedade.

O programa determina, por exemplo, que o Programa de Aquisição da Produção da Agricultura (Papa-DF) pague um preço melhor pelo produto entregue por produtores rurais que protegem suas matas ciliares. Pelo Papa-DF, o governo de Brasília compra diretamente de cada agricultor familiar até R$ 120 mil por ano.

O decreto garante também que haverá, para esses produtores, facilidades no processo de regularização fundiária. Isso será comprovado por meio do CAR, o que permite um monitoramento simples e confiável das informações.

Outra medida prevista no decreto é utilizar os recursos da compensação florestal para apoiar os produtores rurais que queiram recuperar suas matas ciliares ou reservas legais desmatadas antes de 2008. Com isso, pretende-se canalizar recursos para recuperar as áreas definidas como prioritárias à proteção da água, do solo e da biodiversidade no Distrito Federal.

A iniciativa é das secretarias de Meio Ambiente (Sema) e Agricultura (Seagri), com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal (Emater). “O programa foi estabelecido em conjunto pelas pastas ambiental e agrícola porque é de interesse da agricultura a recuperação de parte do Cerrado para se ter mais água”, pontuou do Valle.

Para ele, além de uma obrigação legal, o decreto é uma forma de o governo de Brasília incentivar a recuperação de nascentes, das matas ciliares, amenizar as mudanças no clima e proteger a fauna e flora. O Programa de Regularização Ambiental (PRA) do DF, informa o assessor, define como os produtores rurais – que já entraram no Cadastro Ambiental Rural (CAR) – possam regularizar os passivos ambientais em suas terras. Isso deve ser feito ao recuperar a vegetação nativa de áreas que, por lei, estão protegidos.

Leia mais:

Agricultura aguarda pedidos de 2 mil produtores para regularizar terras públicas

Mais informações:

E-mail: comunicacaosema@gmail.com

CLDF: BOMBANDO na Ostentação em tempo de crise

cldf

O Governador do Distrito Federal Rodrigo Rollemberg (PSB) cortou na carne as regalias da casa, que era para ser do povo, a famosa CLDF.

No corte de R$ 66 milhões divididos entre as regalias previstas pelos parlamentares, não faltaram planejamentos para viagens, contratação de empresas terceirizadas, que na maioria das vezes são de seus familiares, diárias e muita grana para material de consumo e consultorias, tudo às claras.

Chocado, o povo do DF já não vê finalidade em sustentar a casa de negociações, chamada de Câmara Legislativa.

É surpreendente saber que a Câmara Legislativa fez uma previsão cabulosa de gastos para o ano de 2017, a pura ostentação do dinheiro do contribuinte, mesmo sabendo das mazelas que vive o povo do Distrito Federal, em meio à crise de deterioração da máquina pública, surrada pela corrupção de governos que passaram e, como diz o ditado popular: Lavaram a Égua.

Se passamos por crise especialmente na Saúde Pública, a CLDF também tem sua marca depois do afastamento de parlamentares da mesa diretora por corrupção. O que fazer com a Câmara Legislativa do DF? Para o povo, está mais parecida com uma arena de teatro, com artistas e elenco de filme de aventura e ação de pixulecos.

 

Cris Oliveira

 

GOVERNADOR RODRIGO ROLLEMBERG LIBERADA A REVITALIZAÇÃO DA ILUMINAÇÃO DA ESTRADA DO SOL

20161216_161126

Na tarde desta sexta-feira, dia 16, o administrador Alessandro Paiva e o Diretor Técnico da CEB Paulo Afonso estiveram reunidos no gabinete da Administração e receberam o processo de licitação da obra de revitalização e ampliação da iluminação pública da Estrada do Sol, autuado pela- RA-XXVII.

O Governador Rodrigo Rollemberg (PSB) publicou no DODF de 15 de dezembro, o crédito suplementar no valor de R$ 1.500.000,00 (um milhão e quinhentos mil reais) destinado à Administração Regional do Jardim Botânico em parceria com a CEB, para a citada obra.

Para o Administrador Alessandro Paiva, o momento é de grande importância para os síndicos dos condomínios e moradores do Jardim Botânico, que lutaram e reivindicaram pela obra, como um dos pontos principais a ser solucionado.

A estrada do Sol é a principal avenida do Jardim Botânico. Com 8km de extensão, liga os condomínios à DF 001. A rede colocada às pressas na época da formação da Cidade não atende mais os moradores, que agora passarão a ter uma iluminação pública com lâmpadas de LED, que em Brasília só foram instaladas na Esplanada dos Ministérios até então. “O que melhorará, e muito, a segurança da estrada e a qualidade de vida de todos que trafegam no trecho.”, disse o Administrador, que lutou pela liberação do crédito suplementar.

O Diretor Técnico da CEB Paulo Afonso informou que a obra terá início na segunda quinzena do mês de janeiro, com previsão de duração de 90 dias, podendo ter possíveis prorrogações no prazo, caso ocorra alguma adversidade.

O Administrador Alessandro Paiva e o chefe de gabinete Normando Feitosa parabenizam toda a comunidade pela obra de grande importância, e  também o Governador Rollemberg (PSB), pelo trabalho de gestão que vem desenvolvendo e pela dedicação em atender às demandas do Jardim Botânico.

 

ASCOM

 

 

Turismo: Virada do Ano no Hotel Rio Design 2017 promete

rio_designer-3

Por Cris Oliveira

Como todos os anos de muito sucesso, a praia de Copacabana se prepara para receber 2017 com muito estilo. Com vista e cobertura privilegiadas, o Hotel Rio Design está pronto para receber os turistas que irão fazer parte da festa de queima de fogos do Réveillon de Copacabana.

rio_designer-2

Com ambiente de muito conforto e aconchego, o Rio Design atende com requinte seus hóspedes em uma decoração sofisticada. Cada andar é embelezado de forma exclusiva. Além disso, o hotel conta com equipe de excelência, que deixa os hóspedes bem à vontade para passar dias incríveis na Praia de Copacabana,  mais conhecida como “Princesinha do Mar”.

rio_designer-1

Situado à 30 metros da Praia, a vista da cobertura do Hotel Rio Design será um camarote de luxo para quem quiser assistir ao maior show de queima de fogos, que recebe a visita, todos os anos, de milhares de pessoas de todo o mundo. O hotel é um luxo que cabe no orçamento das suas férias.

rio_designer-4

Para o Gerente do Hotel Srº Ricardo Miranda, a virada de 2017 será um up grade na vida das pessoas que escolherem passar o réveillon no Rio Design Hotel. Com serviço de excelência, perto dos cartões postais do Rio de Janeiro, próximo ao aeroporto Santos Dumont, os hóspedes poderão desfrutar da culinária carioca da Orla de Copacabana e visitar o Forte de Copacabana para um café da tarde na tradicional Confeitaria Colombo.

 

Visite o site do Hotel e faça sua reserva:

http://www.riodesignhotel.com/

 

 

 

Aniversário de 60 anos do Núcleo Bandeirante terá apresentações de bandas e artistas locais

programacao

Foram escolhidas 4 bandas e dois cantores para participar dos “Shows Populares” nos dias 09 e 10 (sexta-feira e sábado) de dezembro, em comemoração aos 60 anos do Núcleo Bandeirante. As apresentações serão na Praça Padre Roque (3ª Avenida Bl 790). Com isso, ficou definido que no primeiro dia do evento os grupos musicais são: Maestro Jorge Ramos (MPB), Forró Estação Show (Forró) e apresentação esportiva de um grupo de judô, do mestre Miura, que vai homenagear a cultura japonesa. E no segundo dia: Dois ou Mais (Pop/Mpb), Hoasis (Rock anos 80/90), Cálida Essência (Rock Pop) e atração especial Natália Cavalcanti, que foi finalista no programa de TV “The Voice Brasil” e, ainda, uma atração musical surpresa.

As bandas passaram por uma seleção interna que levou em consideração a diversidade e gostos musicais dos moradores do Núcleo Bandeirante. Além disso, as bandas e músicos se apresentarão de forma voluntária, recebendo um certificado de participação ao final dos shows.

Para o administrador Regional do Núcleo Bandeirante, Cleudimar Sardinha, os shows em comemoração ao aniversário da cidade são importantes para promover um momento de entretenimento para a população do Núcleo Bandeirante. “Essa foi à cidade que nasceu junto com Brasília, e merece por isso comemorações que valorizem o seu potencial histórico de miscigenações culturais. E a participação de artistas e bandas da comunidade é fundamental, no resgate da nossa história e na valorização das novas gerações”, finalizou.

 

Serviço

Aniversário de 60 anos do Núcleo Bandeirante terá apresentações de bandas e artistas locais

Data: sexta (09/12) e sábado (10/12)

Hora: A partir das 20 horas

Local: Praça Padre Roque (3ª Avenida Bl 790) – Núcleo Bandeirante.