O pessimista Hélio Doyle e o caos da saúde

helio doley
O jornalista Hélio Doyle, braço direito de Rollemberg, insiste em dizer que o DF ainda se encontra na crise financeira herdada do desgoverno Agnelo, mesmo com o insistente deputado Chico Vigilante revelando o mistério do SIGGO, e batendo o martelo de que existe dinheiro no caixa do Governo de “Brasília”. Enquanto o mistério continua, Vigilante mostrou em vídeo que já está destinado para a saúde do DF cerca de 4 bilhões de reais, sendo que deste valor R$ 150.684.565,00 é para a compra de medicamento.
A incompetência da equipe do Governador é provada com a ineficácia em se gastar o dinheiro público. Ainda está em falta contraste para fazer exames de imagem e vestuário cirúrgico para médicos e enfermeiros. Até agora só foi gasto 15% do valor destinado à saúde.
Cris Oliveira

Brasília 55 ANOS. De presente: uma mudança na fachada.

catedral de brasilia

A mudança de slogan, de logomarca, de layout, de placas…nada disso chegaria à mudança de atitude prometida! 55 anos e a nossa querida Brasília espera um dia receber com maturidade a “mudança” do sistema político com a esperança de uma verdadeira “mudança” de qualidade de vida.

A cada dia temos recebido tristes surpresas dos dirigentes da cidade. Colaborando o fato, lá vem o Governo Rolemberg mudar o nome de Governo do Distrito Federal para Governo de Brasília. Alguns acreditam na intenção de transformar o Distrito Federal em Planalto Central, e assim conseguir as eleições para Administradores. Ou será uma estratégia para a municipalização? E aí teremos os prefeitos e suas prefeituras. Será possível?
A moça cresceu e está virando Senhora. Brasília e seus 55 anos traz agora em seu comando o Governador Rollemberg, bem diferente dos outros que ocuparam o comando da capital. Rollemberg inovou na comemoração do Aniversário de Brasília.  Acostumada com festas e artistas da Cidade, desta vez a programação se resumiu ao gosto cultural do nosso governador, simples e nostálgica, bem ao estilo dos filósofos que ocupam seu Secretariado. Estes ainda não mostraram para que vieram, trabalham de uma forma econômica porém inerte.
Rollemberg ainda não conseguiu uma marca do seu Governo mesmo com a troca do slogan. Nas redes sociais, o governador está tentando resumir seus problemas retirando de Brasília suas Regiões Administrativas facilitando seu trabalho tal como o sonho de Juscelino Kubitschek, que foi o primeiro secretário do PSD e tinha o 55 na legenda.
PSD, partido de JK, hoje é lembrado com honra no GDF de Renato Santana, Vice-Governador que com certeza deve ter orgulho em ocupar o cargo. Falo daquele GDF, que a equipe paz e amor de Rollemberg faz questão de tornar Governo de Brasília.
Cris Oliveira

Distritais lançam Frente Parlamentar da Diversidade Religiosa

IMG-20150324-WA0024

Autoria é do deputado Delmasso (PTN), que propôs a criação da Frente com o intuito de discutir temas de consenso entre religiões

A Frente Parlamentar da Diversidade Religiosa será oficialmente criada nesta quarta-feira (22), às 19h, em solenidade no Plenário da Câmara Legislativa do DF. O autor da proposta é o deputado Rodrigo Delmasso (PTN). O objetivo da Frente é ampliar o debate de assuntos que envolvem o tema, como a regularização de áreas ocupadas por igrejas e a Lei do Silêncio, que disciplina o barulho em determinadas regiões. A ideia é produzir uma agenda positiva em torno das demandas do segmento e colocá-las em pauta junto à sociedade e no legislativo. “Vamos focar no que é consenso entre as religiões. E quando falo em religiões, me refiro a todas: evangélica, católica, espírita, e etc.”, diz o deputado.

Fonte: Assessoria

Seminário reúne mais de 400 líderes religiosos do DF para discutir regularização dos templos

seminario01
Templos religiosos e entidades de assistência social se aproximam cada vez mais da conquista da regularização dos terrenos. Em seminário, realizado neste sábado (18), no auditório da faculdade Projeção, em Taguatinga Norte, o deputado Bispo Renato Andrade reuniu a Terracap, a Secretaria de Estado de Gestão do Território e Habitação, o Fórum Religioso do DF e mais de 400 líderes das mais diversas religiões e entidades sociais para discutir e entender o processo de regularização das áreas.

Cerca de 400 terrenos no Distrito Federal podem regularizar seus imóveis, já que ocupam áreas da Terracap e, nos termos da legislação, podem se credenciar para compra ou obtenção dos direitos previstos. “Há anos nós lutamos por essa regularização e finalmente o processo está ficando palpável e se tornando real. O sonho será transformado em realidade”, comemorou o deputado Bispo Renato Andrade.

Líderes religiosos, pastores, bispos, padres, diretores e coordenadores de entidades sociais tiveram, no seminário, a oportunidade de esclarecer os processos, tirar dúvidas e entender os pontos mais importantes das leis em vigor. Uma cartilha explicativa, com o conteúdo das palestras ministradas pelos órgãos do governo também foi distribuída entre os participantes, como forma de documento do seminário.

Bispo Renato Andrade explica que as legislações abordadas precisam ser estudadas, já que deixam claro como solicitar a regularização, dos prazos para convocação e dos contratos de compra e venda. “Há uma série de detalhes importantes que precisam estar claros para todos que são beneficiários da lei e vão regularizar os terrenos em questão. Decidi organizar esse seminário para aproximar executivo da sociedade e tornar mais acessível o processo”, explicou Bispo Renato.

Fonte: Assessoria

Capitão da reserva da Polícia Militar é baleado em Brazlândia. Falta de convênio atrasa remoção colocando em risco a vida do paciente

remoção

Depois de uma tentativa frustrada de assalto por dois homens armados, o capitão da reserva da PMDF, Francisco Pereira da Silva, foi baleado com dois disparos no abdômen ontem em Brazlândia.

O capitão estava na companhia de sua esposa próximo ao restaurante comunitário na quadra 36 por volta de 20:30 horas quando dois elementos os abordaram e anunciaram o assalto tentando levar seu veículo, um Golf.

Francisco reagiu e houve troca de tiros. Dos cinco disparos, dois atingiram o oficial. Ele foi socorrido ao Hospital Regional de Brazlândia. O paciente não corria risco de morte.

Um MENOR de 16 anos foi apreendido suspeito de envolvimento na ação criminosa. Ele foi levado à Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA). Militares da Rondas Ostensivas Táticas Móveis (Rotam) e do Batalhão de Cães da PM (BPCães) também estão envolvidos na ocorrência.

Dificuldade na remoção do capitão por falta de convênio

Mesmo recebendo os primeiros socorros pelo CBMDF e conduzido ao Hospital Regional de Brazlândia, familiares da vítima estão revoltados com o descaso das autoridades da Polícia Militar que não se empenharam em proporcionar a transferência do capitão a um dos hospitais credenciados.

Em contato com familiares, o blog apurou que ainda na noite de ontem a vítima fora removida ao Hospital de Base, porém, retornou ao HRB e até as 13:00 horas de hoje (18) o capitão aguardava remoção no box de emergência do HRB para o Hospital Santa Helena.

O que causou mais revolta ainda, segundo dona Judilene Silva, esposa do capitão, é que o Hospital de Base é muito mais equipado para esses tipos de atendimento e eles não conseguiram entender o porquê do retorno do paciente a um hospital mais limitado. “Ele foi lá só fazer uma tomografia e voltou com as balas alojadas no corpo. Se os convênios estivessem ativos poderíamos ter removido ele direto para o Hospital Santa Helena, pois só nós sabemos o quanto vale a vida de um parente”, disse a esposa.

Por outro lado, a dificuldade em transferir o paciente a um dos hospitais credenciados com a PMDF e a suspensão dos convênios com os mesmos acabou por colocar em risco a vida do capitão.

Grupos das redes sociais WhatSaap se mobilizaram para conseguir a remoção da vítima e através da CABE SOCIAL conseguiram uma UTI MÓVEL, enquanto outros se mobilizavam tentando a vaga na UTI do Santa Helena. Ao contrário do que afirmou o Portal G1 da Globo, agora há pouco (14:00 hs) é que recebemos a informação diretamente da esposa do capitão de que uma aeronave do CBMDF havia sido disponibilizada e fez a remoção com a consequente vaga para a UTI do Hospital Santa Helena.

O que estamos observando é que o governo está brincando com a instituição, seus integrantes e familiares e isso é muito perigoso. A suspensão dos convênios e o consequente contingenciamento de mais de 70 milhões de reais da Polícia Militar para cumprir o Decreto Distrital do governador Rodrigo Rolemberg de contenção de gastos em breve estará custando a vida de muitos policiais e dependentes.

Não se brinca com saúde e muito menos com a família policial militar. Será que o governador ainda não percebeu que está direcionando suas ações para um caminho sem volta? Agnelo agiu assim e os resultados estão aí. Policiais ouvidos pelo blog nos diversos batalhões que integram a PMDF já clamam pela volta da Operação Tartaruga que tanto prejuízo causou ao governo passado e a população. O que eles exigem é respeito e valorização, somente isso!

O blog, que na sua imparcialidade se transformou num dos espaços mais acessados e creditados do DF, repudia veementemente tais atitudes e concita ao governo e aos gestores públicos responsáveis pela administração dessa valorosa corporação uma completa revisão das prioridades da mesma, aí incluindo a mão de obra humana. Já é passado a hora, após 100 dias de governo, de se tomar atitudes concretas diante dos casos que têm sido mídia nesses últimos dias relacionados à Saúde da Família Policial Militar.

Volto a repetir: Governador, respeite a PMDF, seus integrantes e seus familiares!

Desejamos ao capitão Francisco Silva o pleno restabelecimento de sua saúde e nos colocamos a inteira disposição da família para o que precisarem.

Da Redação,

Fonte: Blog TEN Poliglota

Inauguração do Ministério Braço Forte‏

BRAÇO FORTE

Foi inaugurada nesta semana pelo Apóstolo, Cláudio César Machado, a nova Sede da Igreja Comunidade Evangélica Ministério Braço Forte do Senhor.

A nova Sede esta localizada no Park Design Shopping, situado no SGCV, lote 08/09 AE e conta com um espaço de mais de três mil metros quadrados para os fiéis.

A programação de inauguração começou nesta quarta-feira (15) e será estendida até a próxima segunda (20). A programação conta com nomes conhecidos no meio evangélico como; Davi Sacer, Pastores Silas Malafáia, Marcos Gregório, Michael Aboud, Cláudio Duarte e outros renomados Ministros de Igrejas Evangélicas de todo o país.

Mais informações. Apóstolo,Cláudio César 84046174

Serviço: Inauguração da Igreja Comunidade Ministério Braço Forte do Senhor

local: Park Design Shopping

Dias: 15 a 20 de Abril/2015

Horário: A partir das 19h30

Samambaia começa a sentir o Caos da ineficiência e o Luxo da escolha do Administrador

samambaiai empresarios

Empresários de Samambaia começam a sentir o caos da ineficiência da administração regional. Segundo fontes, após o fechamento de alguns bares da conhecida avenida Shis, empresários procuraram a Administração de Samambaia e se depararam com algo inusitado: o administrador não sabe nos informar como resolver a situação. Há mais de uma semana fechados, os empresários estão surpresos com o mesmo do mesmo e com a ineficiência na cidade.

No mais esquecido lado ímpar, a comunidade reclama dos buracos e do Mato alto. Em meio a todos esses fatores, o povo assiste a uma cena interessante: é que o administrador da cidade, o empresário Claudeci, dono da Luarte Calçados, passou a desfilar de BMW. Seu carro é a sensação do momento, jamais visto no serviço público.

O que um morador do Lago Sul pode querer na Samambaia? Fontes políticas relatam que o Governador é alvo de cobrança por ter recebido financiamento de campanha do empresário e hoje administrador da cidade. A Associação Comercial da Samambaia, que representa no máximo 90 empresários em um imenso universo, é que vem dando as cartas na Administração.

Cadê a Eleição para Administrador?

Cris Oliveira

Pajeros da PM serão recolhidas

Pajero capotada

As 318 Mitsubishi Pajero da PM sairão de circulação no DF. Após alguns casos de capotamento, foi constatada a instabilidade desse veículo, considerado impróprio para o trabalho da polícia. Vários policiais foram vitimados nesses acidentes.

Segundo fontes, o Comando Geral está de acordo com a reivindicação dos policiais para não usarem mais o veículo durante as rondas. A última vítima de acidente em Pajero foi o Sgt. Magalhães que ainda se encontra hospitalizado, mas fora de risco. Rola um boato de que a Força Nacional será chamada para cobrir a falta das viaturas nas ruas, até que se faça licitação para a compra de novos veículos.

Resta saber se o Governador Rollemberg, já chamado de Tio Patinhas, vai efetuar a aquisição das novas viaturas com urgência.

Cris Oliveira

Concurseiros garantidos

rogerio plenario pl

O deputado federal do PSD Rogério Rosso passou dias de luta com o PL 4.3304. Segundo fontes, o líder da bancada do PSD estava apreensivo com a aprovação da lei que poderia tirar de Brasília o slogan de Capital do Serviço Público. O deputado frisou várias vezes que sua preocupação maior era os concurseiros, que investem horas de suas vidas por uma vaga no serviço público.

O DF é a capital do concurso público, e tem uma indústria de cursinhos. Depois de passarem dias difíceis, o congresso assegurou em lei o entendimento atual da Justiça do Trabalho que permite a terceirização apenas para atividades meio.

Em discurso o líder do PSD pediu a retirada do PL, e em seguida o plenário resolveu adiar a terceirização.

Cris Oliveira

Quem viu o saldo?

não cumpriu

Até agora as contas do GDF são segredo absoluto. Segundo fontes, nem os parlamentares ligados ao governador Rollemberg sabem da real situação dos cofres públicos.

O que se estranha é que a receita continua crescendo todos os dias, e o retrato da cidade é o mesmo do final do Desgoverno, embora já tenham se passado 120 dias da nova gestão.

Quem não perdoa é a oposição: está rolando um vídeo do Governador no WhatsApp chamado “Ta me enrolando”. Enrollemberg prometeu, mas até agora não cumpriu, com a escolha dos Administradores e outras medidas para o primeiro mês de governo. Quem vive de pagar promessa é romeiro e de receber é santo.

Cris Oliveira

Alírio e o jogo dos sete erros

Alirio neto

O suplente de deputado federal Alírio Neto não deixa por menos a sua oposição ao governo Rollemberg. Fiscalizando as promessas postou um texto no facebook com o titulo Encontre a Semelhança. Alírio cobra do Governador atitude de governante, pois já se passaram 120 dias e a cidade está gritando: “aperte os cintos que o piloto sumiu”. Toda culpa está nas costas do governo passado, mas o atual está na inércia há dias, sem respostas para as principais cobranças dos contribuintes.

A foto do texto é a do Governador no zoológico em visita ao elefante Chocolate, dando entender que “a propaganda é a alma do negócio”. E falando de publicidade,o negócio é lucrativo e terá “fato” não novos, porém milionários, em breve.

Vamos continuar admirando as fotos e as paisagens, quem sabe assim saberemos analisar os 7 erros? Se liga!

Cris Oliveira

PSD derruba votação do projeto de terceirização

ROSSO CONGRESSO

Foi adiada a apreciação do Projeto de Lei 4.330/04, que regulariza a terceirização no mercado de trabalho do país. O líder do PSD, deputado Rogério Rosso (DF), apresentou requerimento de retirada de pauta e recebeu apoio do PT, PSDB, PSB, PRB, PSOL e PDT. Diante da pressão, o presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), solicitou a aprovação simbólica do requerimento para que a matéria volte a ser analisada na sessão ordinária da próxima quarta-feira (22).

Rosso informou que é necessária uma legislação para regulamentar a terceirização, visando aumentar a geração de empregos no Brasil, mas defende a discussão da Medida Provisória 665, que trata do ajuste fiscal e altera direitos trabalhistas. “Já que a CUT (Central Única dos Trabalhadores) e o PT, além de outros partidos, afirmam que esse projeto sobre a terceirização retira direitos dos trabalhadores, o PSD entende que é necessário que haja a discussão da MP trabalhista em primeiro lugar”.

Sobre o anúncio feito por Cunha para votar a matéria na próxima semana, o líder pessedista ressaltou que não participou do acordo e reagiu às acusações de que o PL da terceirização estaria ferindo direito trabalhistas . “Quero que o PT aponte um artigo que retire os direitos dos trabalhadores. Ao mesmo tempo, já que existe uma MP que mexe em seguro desemprego, pensão por morte, auxílio doença, seguro defeso, entre outros; precisamos discutir antes. Não se pode colocar dois pesos e duas medidas. Precisamos ser coerentes e proteger o trabalhador brasileiro”, esclareceu.

Ele acrescentou ainda que a bancada vai decidir com tranquilidade o posicionamento na próxima votação. “Alguém aqui viu o texto da emenda aglutinativa que estava sendo proposta? Cadê o texto das emendas aglutinativas?”, criticou.

Fonte: Site PSD

FUNAP/DF ratifica sua parceria com a Administração Regional do Núcleo Bandeirante

funap bandeirante

O chefe da assessoria Jurídico-Legislativa da Fundação de Amparo ao Trabalhador Preso do Distrito Federal (FUNAP/DF), vinculada à Secretaria de Justiça e Cidadania do Distrito Federal (SEJUS/DF), Dr. Carlos Soares (foi representando a diretora executiva. Dra. Francisca Aires), se reuniu nesta segunda-feira, 13, com o administrador interino do Núcleo Bandeirante, Park Way e Candangolândia, Roosevelt Vilela, para tratarem da ampliação de novos contratos para a prestação de serviços dos reeducandos na região administrativa.

ASCOM/FUNAP/DF

Rollemberg frustra adversários e é aprovado por 68,6% da população

rollemberg jornal de brasilia

Na avaliação dos primeiros 100 dias de administração, 63,9% afirmam que resultado é melhor que anterior

Pesquisa divulgada pelo Instituto Veritá aponta que 68,6% dos entrevistados aprovam os primeiros 100 dias do governo de Rodrigo Rollemberg e que 63,9% já avaliam a nova gestão melhor do que o governo de Agnelo Queiroz.

O instituto entrevistou 1.205 pessoas, com idade a partir de 16 anos, entre os dias 9 e 11 de abril em todo o Distrito Federal. A pesquisa tem margem de erro de 3% para cima ou para baixo.

O secretário-chefe da Casa Civil, Hélio Doyle, comemora o resultado da pesquisa, apesar de reconhecer que ainda é cedo para apresentar resultados.

Compreensão

“Achei uma avaliação muito positiva. Mostra que a população entende as dificuldades que temos vivido e que as pessoas estão sendo pacientes”, declara Doyle, que completa: “A intenção é de melhorar, pois ainda temos problemas grandes”.

O governo de Rodrigo Rollemberg só deverá apresentar uma avaliação dos primeiros dias de gestão após o dia 21 de abril – aniversário de Brasília -, próximo aos 120 dias.

“Ainda não temos uma avaliação global, mas é um período curto para grandes realizações. Acredito que o que temos para mostrar é mais o estilo do que resultados, com mais diálogo e transparência”, avalia Hélio Doyle.

Expectativas

O Instituto Veritá também questionou os entrevistados sobre as expectativas sobre o governo para os próximos anos. Apesar da crise financeira vivida pelo governo nos primeiros dias de gestão de Rollemberg, resultado de dívidas herdadas da gestão passada, 55% dos entrevistados acreditam que ela será boa e 14% ótima.

Quando perguntados se o governo de Rollemberg será melhor do que os quatro anos de Agnelo Queiroz, 75% dos entrevistados acreditam que será melhor e 19,4% que será igual ao do antecessor petista.

Como governar

A maneira como o governador tem atuado desde sua posse em 1º de janeiro também foi avaliada. Para 42,5% a maneira como Rodrigo Rollemberg vem conduzindo o Executivo local é regular, enquanto 22,6% consideram a nova gestão ruim ou péssima.

A avaliação do governador Rodrigo Rollemberg também foi aferida no questionário realizado pelo Instituto Veritá. Entre os 1.205 entrevistados 45,2% apontam Rollemberg como bom político e 36,2% avaliam que é regular.

Saiba mais

O questionário proposto pelo Instituto Veritá foi aplicado apenas a pessoas que residem no Distrito Federal há pelo menos um ano.

O método de captação de informações foi por meio eletrônico, com tablets.

Para comprovar a veracidade das pesquisas realizadas pela equipe da Veritá, 20% das pessoas que aceitaram ser entrevistadas pelas equipes de campo, foram acionadas posteriormente por telefone.

A regiões administrativas com maior número de entrevistados foram Ceilândia e Taguatinga.

Expectativa é de melhora no futuro imediato

O secretário-chefe da Casa Civil, Hélio Doyle, avalia que a situação do Distrito Federal ainda não é boa, mas acredita que para o restante do governo a situação deva melhorar.

“Ainda não temos coisas para mostrar por conta das dificuldades que encontramos. Mas, pelo tamanho dos problemas que temos enfrentado, mesmo a cidade funcionando mal, ela está funcionando. Pode ser melhor”, afirma Hélio Doyle.

O Instituto Veritá pediu para que os entrevistados apontassem ainda uma nota de zero a dez para o governador nos primeiros 100 dias. Para 26,2% dos consultados, Rollemberg passaria com a média cinco nos primeiros dias de gestão. Outros 11% dariam zero para o governador contra 5,1% que avaliam com nota dez o início de governo.

A sensação de aprovação pessoal do governador, segundo o secretário-Chefe da Casa Civil, tem sido sentida por Rodrigo Rollemberg nas ruas e em eventos públicos.

Sempre há um risco

“O governador fica satisfeito pois sempre que sai tem sido bem recebido pelas pessoas, seja em eventos públicos ou na Rodoviária do Plano Piloto. Na formatura dos novos policiais militares ele foi muito aplaudido. Sempre é um risco, no momento em que vivemos, tomar uma vaia, mas ele foi aplaudido”, declara Hélio Doyle, que lembra ainda que Rollemberg foi vaiado durante a Via-Sacra de Planaltina ao ser anunciado entre outros políticos: “Foi algo tranquilo, não teve tanta força”, minimiza o secretário Hélio Doyle. São informações do Jornal de Brasília

Que político pode fazer parte das manifestações?

MIRIAN

Na manifestação do dia 12 em Brasília, a revolta pacífica do povo contra os políticos Brasileiros trouxe à tona uma polêmica realidade: qual político pode fazer parte de uma manifestação contra os poderes responsáveis pela qualidade de vida do Brasileiro? O que está piorando a cada dia por sinal, após a gestão do sistema petista há 13 anos assolando o País.

Poucos políticos desfilavam com o povo na esplanada dos Ministérios durante a manifestação. Foi visto por lá o Senador Reguffe (PDT), deputado distrital Raimundo Ribeiro (PSDB),deputado Izalci e outros poucos. Será que a classe política não se vê envolvida com o clima patriota, que leva a multidão a clamar por um Brasil sem corrupção? Ou a mudança do sistema popular assusta os políticos acostumados a nos prometer plataformas fantásticas na campanha, e depois das eleições nos atinge com armas sem direito à defesa, em um sistema de roubo coletivo à mão desarmada?

Dilma com seu senso crítico citou as manifestações do dia 12 como um ato do Brasileiro com saudade da copa do Mundo. Mas não foi a copa um dos motivos das mazelas que assistimos na falta de estrutura dos serviços públicos no Brasil? Quanto dinheiro desviado da saúde para cobrir os milionários jogos da copa do mundo, que não trouxe melhorias ao nosso povo. Dessa vez a presidenta acertou, a copa verde e amarela vai permanecer com manifestações populares contra a corrupção e a ditadura vermelha do PT, mostrando aos políticos eleitos que o povo exige a mudança do sistema.

Cris Oliveira

FOTO: Miriam Stein

Vitória de Reguffe na eleição passada deixou sequelas nos adversários

blog fred reguff

Da esquerda para a direita: A blogueira Cris Oliveira, o senador Reguffe e a jornalista Daniele Sobreira. Reprodução

Já escrevi anteriormente sobre a busca incansável dos adversários para tentar descobrir o calcanhar de Aquiles do senador José Antônio Reguffe (PDT/DF) – leia aqui. Ontem (12), exercendo o livre direito de se manifestar contra a corrupção, Reguffe resolveu ir à Esplanada dos Ministérios na manifestação, assim como outros políticos. Posou para fotos com alguns manifestantes, sempre sorridente. Bastou às fotos aparecerem nas redes sociais para um grupo de críticos – provavelmente simpatizantes do PT – fazerem chacota com a presença do senador na manifestação. Agora sabem o que é mais engraçado? Se Reguffe não fosse ao protesto também seria criticado. Resumindo: será sempre recriminado pelas “viúvas” de políticos derrotados por ele nas urnas.

Reguffe sofre as consequências por ser um político destoado da classe política atual, onde a gastança com o dinheiro público é encarada como normal por certos eleitores. Se surge alguém que defende a austeridade com as verbas públicas, logo é criticado e chamado de puritano, passando a incomodar aqueles que admiram políticos que “rouba, mas faz”, além de chatear os próprios políticos, acostumados a utilizar o dinheiro público a bel prazer.

Na eleição passada, apesar da campanha ardilosa que fizeram para tentar desconstruir sua imagem, Reguffe venceu Geraldo Magela (PT) e Gim Argello (PTB) com uma larga diferença de votos. Passado o processo eleitoral, nem os eleitores e os candidatos derrotados parecem esquecer a disputa. Ainda guardam sequelas por não terem convencido a população de suas mentiras deslavadas contra um político que sempre pautou sua vida pela ética e respeito ao povo que o elegeu.

Fonte: Da Redação\Blog Fred Lima

Procurador da República, DD Júnior, Márcio Trapiá e Lex juntos no Jardim Botânico.

fotos jardim botanico

No próximo final de semana, dias 11 e 12 de abril, cantores evangélicos e autoridades se unem no “I Congresso da Família da Igreja Vivendo a Promessa”. O evento tem caráter social e entrada franca, com programação extensa para toda a família.
A finalidade do evento é levar informação a comunidade sobre assuntos que envolvem o dia a dia de pais e filhos (relacionamento, problemas, delitos, uso de drogas), além de propor novas estratégias para facilitar a vida em família, melhorando assim a qualidade de vida das pessoas.

Os cantores DD Júnior e Lex Skate Rock e Marcinho Trapiá devem garantir a animação de jovens e adultos. O Procurador da República, Guilherme Shelb, é palestrante e abordará temas como ações de prevenção contra violência a crianças e adolescentes. Shelb é Mestre em Direito Constitucional e Especialista em Segurança Pública, ex-Promotor de Justiça da Vara da Infância e Juventude em Brasília, escritor e palestrante internacional sobre Estratégias para a Prevenção da Violência e mediação de conflitos.

A psicóloga Luciana Perfeito também estará presente no evento, conversando com pais, adolescentes e crianças sobre diversos temas. Em um bate papo, ela pretende apresentar dicas que facilitem a convivência entre familiares, fomentando a imagem do lar como refúgio de paz e harmonia.
No intuito de garantir a alegria da garotada, será reservada para as crianças uma equipe de professores e de animação, além de lanche e sala de brinquedos.

Organização: Camila Lopes – Líder do Ministério da Família IVP. (061) 8232 – 4212 / 99734274

Mutirão garante limpeza por todo o Guará

Serviços de limpeza e de tapa-buracos são os mais solicitados pela comunidade

orla

(Brasília, 10/4/2015) – Nos primeiros três meses do atual governo tem sido realizadas diversas ações por todas as Regiões Administrativas do Distrito Federal. No Guará, não foi diferente e o trabalho continua. Os serviços mais demandados pela comunidade foram atendidos e continuam sendo executados, diariamente, por toda a cidade.

O programa Levanta DF continua percorrendo ruas, quadras e avenidas do Guará e do Setor Lúcio Costa. A operação está sendo executada com a ajuda dos moradores que indicam, por meio da ouvidoria da Administração Regional ou pelas redes sociais, os locais que precisam receber os serviços de manutenção. Com isso, houve uma grande aproximação do governo com a comunidade.

Desde o início do governo, as ações de revitalização e reparos na infraestrutura das regiões estão sendo realizadas em todo o DF. Serviços como roçagem do mato, coleta de lixo e de entulho, operação tapa-buracos, poda de árvores, desentupimento de boca de lobos, além do recolhimento de carcaças de veículos, são frequentes em todo o Guará. O policiamento e o combate de invasões de áreas públicas, têm sido ações permanentes por toda a região.

Fonte: Assessoria

“Já chegou a hora de cobrar o Buriti”, diz deputada Liliane Roriz

Ela ainda avisa que fase da paciência está para acabar e governador deve aprimorar diálogo com parlamentares

liliane entrevista

Para a deputada distrital Liliane Roriz (PRTB), a paciência com o governo já tem a validade ameaçada. Passados quase cem dias de gestão, as reclamações sobre o caos financeiro deixado pelo governo anterior passam a perder credibilidade. “A partir de agora, temos que cobrar mais duro do governo, porque ele já tem uma margem para se trabalhar, para criar oportunidades”, avalia. E para contar com o apoio da Câmara Legislativa, o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) precisa aprimorar o diálogo com os parlamentares. “O deputado pode ajudar muito, se tiver a disposição para fazê-lo, porque é ele quem está perto das bases. Ele sabe o que as comunidades precisam. Se o governador for inteligente – acredito que seja – ele vai poder usar mais da disponibilidade dos deputados”, afirmou, cobrando uma melhor articulação com o Legislativo.

A senhora acredita exista uma estratégia do governador Rollemberg de se aproximar da família Roriz e do capital político que ela possui?

Eu acho que a questão é o reconhecimento ao trabalho dedicado à cidade, que minha família, meu pai e minha mãe fizeram. O governador compreende que há uma experiência muito grande e essa aproximação é mais do que natural. Sabendo do amor que meu pai tem pela cidade, é natural que o governador atual queira compartilhar ideias e experiências. Meu pai entendeu isso e nada mais do que a gente quer é que qualquer governante que assuma esta cidade tenha o mesmo zelo para governar.

Existe a possibilidade de deixar a bancada governista em algum momento?

Olha, eu não posso afirmar isso. Mas sou da base até que algum projeto não esteja conforme a vontade da população. Por enquanto, quero dar um voto de confiança para o governador Rodrigo Rollemberg, no sentido de que o Distrito Federal precisa desse voto de confiança, para que ele assuma posturas diferentes em relação à gestão, trazendo mais tranquilidade à cidade. Estou ao lado dele, serei a favor dele até onde ele estiver com esse propósito de lutar pelo Distrito Federal. Sempre digo que sou da base de apoio à minha cidade. Não apoio um governo, mas sim à cidade.

Fazendo as contas, o governador tem a maioria na Câmara Legislativa?

Tem a maioria. Não é uma maioria satisfeita cem por cento, mas sim uma maioria que dá uma certa tranquilidade para governar.

O que falta para que o governador se aproxime dessa maioria e mantenha uma base satisfeita?

Falta muita conversa. Acho que o diálogo com o próprio governador e que ele assuma posturas de compromisso com a cidade. Nem sempre o deputado quer espaço político e cargos no governo. Ele quer fazer um bom trabalho nas bases e ter o governo à disposição para ajudar a resolver problemas da cidade. O que é necessário é muito diálogo e entendimento, que é muito necessário hoje. A Câmara Legislativa e os deputados estão muito dispostos a ajudar o governador, mas é preciso um pouco mais de atenção. Eu sempre disse que cada deputado tem sua personalidade diferente e é preciso conversar com cada um deles individualmente, para que eles entendam que Brasília está passando por uma situação difícil e tudo vai ser colocado nos eixos. Até porque o deputado pode ajudar muito o governador, se tiver a disposição para fazê-lo, porque é ele quem está perto das bases. O deputado sabe o que as comunidades precisam, escuta o que precisa ser feito. Se o governador for inteligente – acredito que seja – ele vai poder usar mais da disponibilidade dos deputados. É preciso ouvir mais, afinal somos representantes do povo.

A articulação política do Palácio do Buriti tem sido muito criticada pelos deputados. Qual é problema?

Eu não posso falar por que o diálogo é difícil. Tenho que falar por mim. Comigo, o diálogo é razoavelmente fácil. Eu entendo que a cidade tem que ter um pouco de paciência, embora a gente saiba que esse limite está chegando ao fim e que esse diálogo depende muito de quem é o intermediário. Se não foi achada ainda a pessoa ideal para essa conversa, acho que o governador tem que ligar para cada deputado e chamar para uma conversa.

Em três meses de governo, que tipo de avaliação é possível fazer?

Veja, acho que a partir agora, temos que cobrar mais duro do governo, porque ele já tem uma margem para se trabalhar, para criar oportunidades de trabalho. Na verdade, o governo precisa estimular empresas para que elas sejam motivadas para se instalarem em Brasília. O setor produtivo está muito desmotivado e existe um pessimismo muito grande. Eu acho que o governo tem que dar oportunidade para que esses empresários voltem a investir na cidade. Eu tenho ficado muito alerta a isso e fiz um projeto que dá taxas de impostos mais baixas depois de dois anos de estadia no Distrito Federal. Isso motiva o empresário e o faz entender que o governo faz seu papel de contrapartida. Temos que colaborar com o governo e dar mecanismos para que não sejam feitas leis proibitivas.

O setor empresarial já está contrariado com a questão dos pagamentos. É possível atrair mais empresários?

Com certeza. Você precisa ter muito mais diálogo com os empresários, porque não só Brasília como o Brasil passa por uma crise muito grande. Mas a gente tem que entender que o estado de Goiás não pode criar mais expectativa para as empresas deixarem de vir para cá e irem para Goiás. O governo tem que achar uma forma para os empresários terem melhores expectativas.

A senhora foi uma das poucas opositoras ao governo Agnelo. Que tipo de aprendizado foi possível obter?

Historicamente, minha família sempre foi oposição ao Partido dos Trabalhadores, embora no meu caso fosse uma oposição muito discreta, por achar que a cidade estava sempre em primeiro lugar. Nunca fui oposição radical, sempre busquei o melhor para a cidade. Ser base sempre tem uma premissa na minha cabeça: estou na situação, mas quero, acima de tudo, o melhor para o Distrito Federal. É o que fiz quando o governador vetou meu projeto, que preservava a quadra 901 Norte. Fui muito dura. Não gostei e me espantei pelo fato de ter lutado com ele contra o PPCUB, que o governo anterior queria aprovar. Fui radicalmente contra esse veto. Logo depois, o governador falou comigo que era favorável a essa preservação. O plano de Lúcio Costa tem que ser intocável. Falei para ele que ia derrubar esse veto. Ele entendeu e conversei com todos os meus colegas, que me apoiaram. Não vou abrir mão disso, porque é a cidade que eu amo e vou lutar por isso. Mesmo que eu seja da base do governador, vou pensar sempre nesse amor que eu tenho por Brasília.

Qual o momento mais oportuno para discutir PPCUB e Luos?

Têm que ser revistos os dois projetos. O governador acompanhou e fez audiências públicas quando era senador e sabe que tem que haver um ajustamento. A cidade cresceu e existe a prerrogativa de se conservar a cidade como patrimônio cultural da humanidade. Eu acho que o PPCUB tem que ser avaliado pelo Iphan e é preciso que se restabeleçam novos conselheiros no Conplan. É uma discussão que tem que ser diferente do passado. A cidade precisa ouvir o que pode ou não ser feito e entenda qual o mistério por trás do PPCUB, qual a razão do governo anterior querer que a Câmara o aprovasse a toque de caixa. O governador Rollemberg tem história na cidade, como Elisa Costa, que acompanhou toda a campanha, foi à posse do governador. Ela é uma pessoa que acompanha muito essa questão. O governador vai entender que isso tem que ser melhor discutido. Não sei quando isso poderia acontecer, mas acredito que é importante que seja colocado em discussão. Até porque sempre vamos ficar naquele medo, pavor, que venha para assombrar a tranquilidade do morador de Brasília.

A revitalização da W3 é uma das questões que devem ser levadas em conta quando se fala em PPCUB. Como fazer isso?

Entre meus projetos, eu criei um que dá incentivos para os moradores e comerciantes que reformarem calçadas, marquises, fachadas. Em contrapartida, será concedido um desconto no IPTU. Todos os governos tentaram revitalizar a W3, mas o assunto não foi adiante. Será um estímulo às pessoas que vivem naquela área para a tornarem atrativa. Será bom tanto para o comerciante tanto para os moradores. A cidade vai ficar mais bonita. A avenida que foi muito famosa décadas atrás passa a ser reutilizada e pode ser até um ponto turístico novamente.

Nos primeiros três meses, o governo reclamou constantemente da crise financeira. É possível superá-la ainda este ano?

Sim. Acho que esse ajuste de contas sempre é muito ruim para a cidade. Mas temos que entender que as áreas básicas, como a saúde, segurança e educação não sejam afetadas. Afinal de contas, temos um fundo que nos garante isso, a estabilidade. Então, acho que no próximo semestre, com o ajuste todo que tem sido feito, podemos passar a partir de agosto uma tranquilidade maior, com ele cumprindo as promessas de campanha, em todas as áreas. Assim como prometeu no seu plano de governo. É o que eu espero.

O caminho para superar a crise é com aumento de impostos?

Não. Eu acho que seria melhor cortar gastos desnecessários, com viagens, carros de luxo. Tem que enxugar a máquina. As pessoas no governo têm que entender que precisam usar menos telefone, menos supérfluos. Ou seja, quem está envolvido com o governo tem que entender que é um servidor público e não um gastador público. É preciso pensar que a máquina gira em torno de economia. Cada secretário, servidor precisa ter esse zelo com o dinheiro público.

O aumento do IPTU perdeu força?

É, o IPTU não tem como. O País já passa por essas dificuldades e não tem porque aumentar e eu sou totalmente contra um reajuste.

A redução no número de administrações foi deixada de lado, já que vários deputados se manifestaram contra. Tem alguma chance de ser aprovada?

No meu ponto de vista, não. É, aliás, o ponto de vista das comunidades dessas áreas. É muito ruim. Não acho que seja uma economia muito relevante acabar com algumas administrações. Tem que se readaptar ao momento, diminuir o número de servidores, mas acho que acabar com elas eu também não sou a favor.

Fonte: Da redação do Jornal de Brasília