PMDF de Luto: A PONTA DO ICEBERG E A TRAGÉDIA ANUNCIADA.

IMG-20160205-WA0219

Era uma vez uma Polícia onde os homens mais capazes, mais audazes, valorosos e que reuniam todas as virtudes que se espera de um Policial cansaram, lutaram, gritaram, imploraram e por fim faleceram.

Aqueles que tinham propósito claros de que vale a pena trabalhar para garantir a vida , a propriedade e a liberdade dos cidadãos de sua cidade, desapareceram, não suportaram entregar suas vidas para um ideal, quando os meios que lhes  são oferecidos para servir são justamente os mesmo que servem para ceifar suas vidas.

De uma vez por todas se uniram, cansaram de observar meia dúzia de parasitas sugarem milhões de reais para realizar a manutenção de viaturas que nunca foram feita, enquanto reuniam farelos de seus suados salários para consertá-las.

Seus corpos estão em hospitais, salas de cirurgias, UTI, caixões , o dos parasitas, provavelmente se regozijando em um alto cargo do Governo, cujos os vencimentos são duramente pagos com nosso suor, lágrimas e sangue.

Somente o trauma coletivo gera união e nos parece que só a violência vai gerar a compreensão necessária a sociedade que os Policiais Militares dessa cidade não vão mais aceitar trabalhar de graça em escalas extras, não vão mais sair as ruas com viaturas sem condições, com coletes vencidos.

Nenhum PM dessa cidade vai aceitar trabalhar dezenas de anos e ter somente uma mísera promoção, com soldos sendo corrigidos pelo salário mínimo.

Qual o preço que VC cobraria para arriscar sua vida por pessoas que não conhece e às vezes o despreza?

Pois o nosso preço acabou de subir, pois a vida de um irmão não se foi em vão e o seu filho que estava para nascer não merece uma Polícia Covarde.

Preparem-se pois para sustentar a lixeira social que depositam em nossos ombros, novamente, será preciso nos atender.

PARA DERRUBAR A NOSSA UNIÃO , É PRECISO MUITO MAIS QUE A INCOMPETÊNCIA DE UM GOVERNO SEM AÇÃO!

Fonte: SD ATLAS

OMISSÃO SES-DF: Facilidades do decreto emergencial não teve resultado na saúde

RAFAEL PRUDENTE

O deputado Rafael Prudente (PMDB) não poupou o governador Rollemberg ao criticar a má gestão generalizada da saúde. Rafael usou a tribuna para denunciar que o Governo de Brasília, mesmo com as facilidades do decreto emergencial já existente há um ano, não conseguiu melhorar a saúde pública da Cidade, e que o caos é tão grande, que só se acha um leito de UTI   com mandado judicial.

O deputado deixou claro que os parlamentares fizeram sua parte ao enviar, para a SES-DF, a quantia de 300 milhões em emendas parlamentares, mas que não foram executadas por falta de competência. Só pode. Os cofres da SES-DF viraram o ano cheios de recursos.

O governo não empenhou o necessário para sanar dívidas com fornecedores e prestadores de serviços, e deixou o povo padecer.

Foram disponibilizados 288 milhões de reais. Governo ineficiente, ineficaz e omisso. Rollemberg está pessimamente assessorado. Cabide de emprego indicados por políticos que não tem compromisso com o DF,  dá nisso. Espera-se que seja por culpa do que por dolo.

Rollemberg paralisou o estado com a máquina ocupada por funcionários despreparados.

 

 

Cris Oliveira

Laerte Bessa denuncia desvio de dinheiro da Segurança Pública do DF

laerte_bessa

O deputado federal Laerte Bessa subiu à tribuna do plenário da câmara para denunciar que o governador Rollemberg está desviando o dinheiro da segurança pública do DF.

A população está refém da criminalidade. Diariamente vemos tantos acontecimentos bárbaros e, mesmo assim, o governador toma atitude. Vejamos que o Fundo Constitucional não está sendo aplicado corretamente.

A população do Distrito Federal precisa da nomeação dos aprovados no último concurso da PCDF. Os policias e bombeiros militares aguardam as promoções que são de direito.

“Como relator da Proposta da Redução da Maioridade Penal, atendi o clamor do povo brasileiro em meu relatório. Agora precisamos cobrar dos Senadores o andamento da PEC 115/2015”, disse Bessa.

Não suportamos tanta violência, chega!! Discursou o Deputado.

Fonte: Facebook Laerte Bessa

20º Festival de Sorvete do Colégio CCI

Comemorando 19 anos ao lado de toda a família

cci

A tarde ensolarada do último sábado (30/01) atraiu centenas de pessoas ao nosso 20º Festival de Sorvete. O evento, que já é uma tradição, acontece há 19 anos, em comemoração ao aniversário do CCI. O festival é aberto à comunidade, pois estima-nos celebrar esse momento com todos que nos ajudaram e nos ajudam a fazer Educação de qualidade.

Foram muitos os que passaram pela nossa escola. Cada qual com o seu “tijolo” contribuiu para tornar sólida a estrutura pedagógica e administrativa que temos hoje. Aos tijolos de uma iniciativa de coragem, vimos agregar os tijolos da confiança, da responsabilidade, da competência, da parceira, da harmonia, do companheirismo, do esforço, da satisfação, do reconhecimento, da alegria e do amor que sempre nos motiva a continuar a missão de educar.

Como de costume, nessa festividade, várias oficinas são realizadas. Entre um sorvete e outro, os convidados se divertem participando das atividades e aproveitam a oportunidade para reencontrar os amigos, rever os professores e relembrar as histórias que iniciaram aqui.

Fonte: CCI\Samambaia

Francianne de Fátima

OAB-DF afirma que segurança pública da capital está “fora dos eixos” e cobra plano com “menos fogos de artifício e mais trabalho”

GIULIANO

Por meio de nota, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-DF) externou grande preocupação com a violência em Brasília. Segundo a instituição, a segurança no DF está “fora dos eixos”. “São furtos, roubos, assaltos à mão armada, sequestros, homicídios, latrocínios, fuga de detentos. A sensação de insegurança dos habitantes de nossa capital só não é maior do que a real situação de violência cotidiana à qual todos estamos expostos”, afirma.

A ordem cobra ações efetivas do GDF, com “menos fogos de artifício e mais trabalho”. “Temos plena consciência de que não há soluções mágicas ou simples para que a situação seja revertida. O governo, por meio de parcerias e sob olhares atendos de entidades da sociedade, tem de elaborar um planejamento estratégico e efetivo de enfrentamento da criminalidade”, diz o documento.

 

Veja nota completa assinada pelo presidente da OAB-DF, Juliano Costa Couto:

“A Seccional do Distrito Federal da Ordem dos Advogados do Brasil manifesta extrema preocupação em relação ao quadro de crescente violência vivenciado na Capital da República do País. A entidade também declara sua mais sincera consternação diante da dor de famílias vítimas de ações criminosas que minam a paz social e transformam o trajeto entre a casa e o trabalho em um caminho, muitas vezes, sem volta.

São furtos, roubos, assaltos à mão armada, sequestros, homicídios, latrocínios, fuga de detentos. A sensação de insegurança dos habitantes de nossa capital só não é maior do que a real situação de violência cotidiana à qual todos estamos expostos.

A segurança pública está claramente fora dos eixos quando um pai é assassinado à espera do filho na porta da escola. É trágico e fortemente simbólico o fato de a violência se encontrar com a educação e sair vitoriosa do embate. É passada a hora de agir, com verdadeira vontade política e responsabilidade.

A OAB/DF tem plena consciência de que não há soluções mágicas ou simples para que a situação seja revertida. O governo, por meio parcerias e sob os olhares atentos de entidades da sociedade civil organizada, tem de elaborar um planejamento estratégico e efetivo de enfrentamento da criminalidade, com menos fogos de artifícios e mais trabalho para colocar as coisas em ordem.

É necessário, por exemplo, verificar se as verbas do Fundo Constitucional do Distrito Federal destinadas para a segurança pública estão sendo corretamente aplicadas. Representantes de forças policiais afirmam que não. É preciso também pensar em métodos palpáveis para reduzir a drástica desigualdade social que só faz aumentar. Porque, todos sabemos, não há combate à criminalidade sem combate à miséria.

A Seccional da OAB/DF informa que, desde já, promoverá debates com especialistas em segurança pública e convidará as autoridades responsáveis para diálogos francos, abertos e contínuos. A partir destes diálogos, tomará medidas para auxiliar efetivamente o árduo trabalho de devolver a paz aos moradores do Distrito Federal.

A casa da advocacia se transforma, a partir de hoje, também em palco de estudos e planos para ajudar no combate à violência, que é algo muito maior do que a mera aplicação do Direito Penal”.

Fonte: Blog CB. Poder

Deputado diz que Secretaria de Saúde é culpada por “infestação da dengue”

cvigilante

O deputado Chico Vigilante (PT) acusou na sessão ordinária tarde desta quarta-feira (3) a Subsecretaria de Saúde do governo local de ter sido culpada pela “terrível infestação da epidemia de dengue no DF”. O parlamentar disse da tribuna que aquela secretaria deixou de aplicar em 2015 recursos orçamentários de mais de R$ 3,3 milhões que foram aprovados na Câmara Legislativa em 2014 para serem aplicados no controle da dengue “que tomou conta da cidade”.

“Eles são incompetentes: só aplicaram R$ 71 mil do que estava previsto no orçamento – o que representa apenas 2% do que deveria ser investido”, reclamou Vigilante. Ele alertou ainda que “o governo precisa acordar para o que está acontecendo na saúde do DF”. O deputado afirmou que os servidores públicos, como também os pacientes, estão sendo penalizados com o “descontrole”, na gestão da saúde.

Também o deputado Ricardo Valle (PT) criticou duramente o governo pela “falta de planejamento” na saúde pública no DF. “Agora no desespero o governo quer colocar as organizações sociais (OSs)  para gerir a saúde local”, afirmou o distrital, defendendo que depois do Carnaval  a Câmara Legislativa precisa chamar de novo o secretário de Saúde (Fábio Gondim) para dar explicações sobre o que pretende fazer  à frente da pasta.

Em aparte, o deputado Reginaldo Veras (PDT), que presidia a sessão, anunciou que ele protocolou requerimento para a realização de audiência pública na Câmara Legislativa no próximo 14 de março (segunda-feira) para discutir a proposta de contratação das Organizações Sociais na gestão da saúde no DF. “É uma questão de extrema seriedade, que exige um debate profundo”, defendeu.

Lei do Silêncio – O deputado Ricardo Valle (PT) defendeu, na tribuna, a aprovação na Câmara Legislativa de uma lei que revise a atual Lei do Silêncio, a fim de que haja maior tolerância em relação ao trabalho dos músicos locais, em bares e restaurante.

Vale afirmou que já recebeu informação de que o GDF se comprometeu a enviar uma nova proposta à Câmara Legislativa a fim de alterar a lei atual, que já foi alvo de muitos debates na Câmara Legislativa. “Não estamos falando de barulho nem som alto nos carros, mas de permitir que os bares possam ter música ao vivo até a meia-noite, com acústica, garantindo o emprego de muitas pessoas que trabalham no comércio. Queremos resolver essa questão até o final deste semestre”, advertiu.

Zildenor Ferreira Dourado _ Coordenadoria de Comunicação Social

Mané Garrincha ganhou cinco estrelas em avaliação

Com nota máxima, arena de Brasília está preparada para as Olimpíadas de 2016

estadio

O Estádio Nacional Mané Garrincha recebeu avaliação máxima – cinco bolas – do Sistema Brasileiro de Classificação de Estádios (Sisbrace), que propõe a melhoria em conforto, segurança, acessibilidade e condições sanitárias e de higiene dos estádios do país. Os estádios brasileiros agora serão classificados com uma a cinco estrelas em um critério semelhante ao usado com hotéis.

Em 2014 o Mané Garrincha foi escolhido para abrigar a abertura da Copa das Confederações, além de sete jogos da Copa do Mundo. Em 3 de maio deste ano receberá a Tocha Olímpica numa grande festa, além de ser sede das Olimpíadas de 2016, com dez partidas de futebol, entre 4 e 12 de agosto. A expectativa da Secretaria Adjunta de Turismo de Brasília é receber 400 mil turistas para acompanharem os Jogos Olímpicos no estádio.

O secretário Adjunto de Turismo, Jaime Recena, responsável pela arena de Brasília, comemora o resultado da avaliação do Ministério do Turismo. “Ter um estádio cinco estrelas é ponto muito positivo para Brasília, porque os jogos e eventos que recebe movimentam toda a economia da cidade. Com as Olimpíadas de 2016, nós vamos aumentar o fluxo de turistas nacionais e bater os recordes com visitantes internacionais. Os grandes eventos são oportunidades únicas de entrada do destino na grande competitividade do setor no mercado internacional”, destaca.

Todos os estádios que participaram da Copa do Mundo de 2014 – à exceção da Arena Pantanal, com quatro bolas – receberam cinco bolas: Maracanã, Arena Corinthians, Mineirão, Mané Garrincha, Fonte Nova, Castelão, Beira-Rio, Arena Pernambuco, Arena da Baixada, Arena das Dunas e Arena da Amazônia. Dos 155 locais avaliados, 13 deles ganharam cinco bolas, três com quatro bolas, outros 51 com três bolas, 59 com apenas duas bolas e 29 com uma bola.

A cada três anos os estádios passarão por uma nova avaliação. A nova etapa do Sisbrace, que deve ter início ainda neste ano, irá classificar outros 140 locais.

Fonte:Assessoria de Comunicação – ASCOM 

Nota de Falecimento

 Foto: Reprodução

joel 1

É com pesar que venho comunicar o falecimento do líder de Samambaia e da política do DF, Joel Miguel da Silva, que nos deixou na manhã desta quarta-feira (03). Após sofrer um aneurisma cerebral, o guerreiro pioneiro veio a óbito.

Os amigos e líderes da cidade lembrarão de Joel pelo seu trabalho prestado ao povo, e pelo seu jeito humilde, simples e alegre, um grande líder dos governos de Joaquim Roriz.

Que o Espirito Santo console a todos os amigos e familiares. O sepultamento ocorrerá no Cemitério de Taguatinga, às 15h do dia 04 de fevereiro de 2016.

Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé.

2 Timóteo 4:07

Cris Oliveira e amigos!

 

 

Ensino da música nas escolas do DF já tem lei e resolução

depbisporenato-creditodavidpena

Crianças e adolescentes do Distrito Federal já podem esperar a inclusão da música na grade curricular das escolas públicas e privadas. Uma proposta, de autoria do Deputado Bispo Renato Andrade, foi aprovada em plenário por unanimidade, sancionada pelo governador e direcionada à Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer. A lei dá preferência à Música Popular Brasileira.

Na última semana, foi publicada no Diário Oficial do DF uma resolução, instituindo uma comissão permanente para cuidar diretamente da coordenação, planejamento e implementação da lei no ensino regular, integral, especial, de natureza especial e socioeducação. Serão responsáveis pela inclusão do ensino da música nas escolas a Subsecretaria de Educação Básica – SUBEB, a Coordenação Regional de Ensino do Plano Piloto e Cruzeiro e a Escola de Música de Brasília.

O ensino da música deve constar na grade curricular da educação básica, ou seja, educação infantil, ensino fundamental obrigatório de nove anos e ensino médio. Para o deputado Bispo Renato Andrade, a disciplina da música tem como objetivo “estimular a criatividade, trabalhar a coordenação motora, desenvolver organização e disciplina, além de incontáveis outros benefícios”.

Bispo Renato enfatiza ainda que o objetivo “não é formar músicos, mas ajudar no desenvolvimento dos alunos, podendo ainda ser usado como elemento agregador nas outras disciplinas”.

O ensino da música nas escolas foi disciplinado pela Lei Federal nº11.769/2008, que alterou a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), estabelecendo que a música deve ser conteúdo obrigatório do componente curricular, mas no Distrito Federal ainda não existia uma lei própria.

 
Assessoria de Comunicação

Não repare, estamos sem governador

criativo

O povo do DF, a cada dia que passa, entra mais no clima de zoação da inútil política Brasileira. Brasília agora aprendeu a responder aos políticos de forma hilária. Tipo assim: Seria até hilário se não fosse tão trágico. O DF agora avisa aos moradores e principalmente aos turistas, que devem chegar na capital do Brasil para as Olimpíadas de 2016, que a cidade está perdida e vai de mal a pior. Típica de um povoado sem líder, ou como diz a placa: “Não repare a bagunça, estamos sem governador”.

 

Estamos sem governador quando o assunto é o serviço público. Aí a coisa pega. Quer ver? Então vamos lá.

 

O DF está sem governador quando o morador de Santa Maria, após um assalto, procura a Delegacia de Polícia e volta pra casa porque não tem servidor para registrar a ocorrência. Aí a sensação de “putz fui roubado, mas deixa pra lá” porque os números da “boa gestão” do desgoverno não podem crescer. Na próxima avaliação, o desgoverno levará nota 10 porque as estatísticas falarão que o número de assaltos reduziu neste desgoverno lixo.

 

O DF está sem governador quando a mãe vai ao hospital com princípio de aborto e volta pra casa porque foi mal atendida, ou quem sabe quando uma criança é atendida e volta pra casa sem o médico perceber que havia uma bala alojada no nariz da criança, vítima da bala perdida na virada do ano, mas o atendimento exemplar da saúde pública não fez os exames necessários. Tudo vai melhorar, não se preocupem, precisamos implantar o sonho das famosas OSSs, que servem para ratear a grana entre alguns, até que a PF, daqui a alguns anos consiga fazer uma nova operação, já com os suspeitos dos sermões aos peixes, que vieram nadar nos peixes do planalto central.

 

 

O DF está sem governador quando uma senhorinha, que de prepotente tem tudo, faz operações derrubando invasões, com sorriso cínico e pregando aleluia e glória a Deus, passando o trator nos mais carentes, sem ao menos remover as famílias, ou quem sabe aquela mega secretária que abriga o Social sirva para alguma coisa, além de licitar pães milionários que não alimentam sequer as clínicas de reabilitação de viciados. Mas essa onda de vício parece que não assusta ninguém da geração Brasília, nem João de Santo Cristo daria conta dessa geração.

 

 

O DF está sem governador quando a TV nos mostra o NA HORA, que agora é chamado de sem hora pra atender, com os idosos esperando por atendimento em filas quilométricas, mas quem liga? Ninguém sabe nem se existe estatuto do idoso, muito menos Secretaria do Idoso.

 

O DF está sem governador quando a cunhada do Vice Governador vem a óbito porque era vítima da dengue, mas não tinha reagente para o exame no hospital que a mesma era servidora. Imagine os reles mortais da cidade. Aí o Vice acorda, se esquece de quem ele é e para o que veio, e deseja que todos da má gestão sejam pegos pelo vírus do trabalho. Danou-se tarde demais. Quem participa do Bônus, tem que participar do Ônus. As mordomias e os cargos dos familiares têm seu preço.

 

Fazer o quê? Aguardar 2018? No Brasil, a democracia acabou. Podem chicotear o povo, que não tem lei que pegue o corrupto e acabe com a má gestão. As atitudes não assinam os discursos.

 

Não temos governador quando percebemos que motos da marca BMW são mais baratas que de outras marcas. Para agraciar alguém, só pode. Um governo charrete gastando com fúteis e inúteis. Muitos aluguéis para pagar aos patrocinadores de campanha.

 

Não temos governador quando percebemos que a máquina ultrapassou 50% da folha de pessoal com cargos comissionados, sem chamar os concursados da polícia civil, do Metrô e os dentistas da Secretaria de Saúde. Porque tem que privilegiar novamente alguém através da empresa de segurança contratada.

 

Rollemberg tem que fazer um novo diário, tentar pelo menos continuar, caso contrário ele terá que pedir pra sair. Não dá.

 

A inoperância do governo de Rollemberg (PSB) e Renato Santana (PSD) é tão generalizada que o povo já sabe que o governo é do povo.  Com eles o povo capina, roça mato, extermina foco de mosquitos, reforma biblioteca, compra remédios, compra seringa, limpa rua, desentope bueiros, faz parto, pega cachorro de rua para vacinar, dá assistência aos desabrigados, tapa buracos no asfalto sonrisal, etc.

Precisamos de atitude pra mudar! Enquanto os nomeados mamam nas regalias, o povão luta para sobreviver na desordem do desgoverno!
Eita lêlê!!!

 

Cris Oliveira

Assassinato no Guará repercute na primeira sessão do ano na Câmara Legislativa

cldf hoje

Diversos distritais criticaram a segurança pública no DF

A primeira sessão ordinária da Câmara Legislativa do Distrito Federal, nesta terça-feira (2) foi marcada pela repercussão entre os distritais do assassinato ocorrida na porta de uma escola no Guará. O assunto foi abordado por vários deputados distritais que chegaram a propor a decretação de estado de emergência na segurança pública e até mesmo uma intervenção do ministério da Justiça.

O crime ocorreu no começo da tarde de hoje, quando um funcionário público teve o carro roubado e foi assassinato na porta da escola dos filhos. Logo na abertura da sessão os distritais criticaram duramente a segurança da cidade e cobraram ação do GDF para enfrentar a violência.

O líder do PMDB, deputado Wellington Luiz, lamentou a morte do “pai de família” e considerou muito grave que a violência tenha virado rotina no DF. Para ele, não existe fórmula mágica para se combater a violência. Segundo Wellington Luiz, o enfrentamento deve acontecer com o fortalecimento do policiamento nas ruas.

O deputado cobrou a imediata contração de policiais e afirmou que o GDF está sendo omisso. “Enquanto o governo quer contratar policiais a conta-gotas, o sangue de inocentes é derramado diariamente. A segurança da capital do País está falida”, sentenciou o parlamentar.

O deputado Raimundo Ribeiro (PSDB) considerou a situação da segurança apavorante e destacou a preocupação dos líderes partidários com a questão. Em sua opinião, o sentimento de indignação e perplexidade está tomando conta das famílias.

Ribeiro sugeriu que o GDF decrete situação de emergência na segurança pública para tomar medidas concretas contra o problema. “O governo precisa se mexer, não pode ficar parado”, completou.

Já o deputado Rodrigo Delmasso (PTN), morador do Guará, disse que estava de luto com o crime que assustou e revoltou os moradores da cidade. O distrital enfatizou que o crime aconteceu em uma das avenidas mais movimentadas do Guará e ressaltou que os índices de criminalidade na cidade crescem absurdamente.

Delmasso informou ainda que a polícia militar conta com cerca de 30 homens para fazer a ronda no Guará e na Estrutural, número, segundo ele, insuficiente para a tarefa. O distrital defendeu uma intervenção do ministério da Justiça na segurança pública do DF. “Até quando vamos ficar parados? “, cobrou.

O deputado Cláudio Abrantes (Rede) pediu a contratação imediata de 400 policiais civis que esperam a convocação para tomar posse. Mesmo assim, segundo ele, estas contratações serão apenas um sopro e não resolverão o déficit de pessoal da polícia civil. De acordo com Abrantes, o quadro atual da corporação é de 100 policiais a menos do que existia em 1993. Para o deputado, o problema da segurança só será resolvido com o planejamento de longo prazo, consulta a especialistas e ações duradouras.

Para o deputado Roosevelt Vilela (PSB) é hora de engrossar o discurso, “pois estamos no meio de uma guerra”. “O crime está nas ruas e tem que ser combatido com força”, sugeriu.

Desafios – O novo líder do Partido dos Trabalhadores, deputado Wasny de Roure, aproveitou a primeira sessão para falar dos desafios de 2016. Em sua avaliação, as crises na saúde, educação, segurança e transporte deverão dominar os debates no Legislativo ao longo do ano. Wasny considerou a chegada das chamadas Organizações Sociais (OS) para fazer a gestão de unidades de saúde uma grave ameaça. Segundo ele, as OS são entidades que dependem do lucro e não podem ser a solução para os graves problemas da saúde.

O líder do PT também falou sobre a anulação da licitação do transporte público coletivo e disse que os resultados da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) em curso na Câmara serão importantes para esclarecer os problemas do certame. Wasny ressaltou, no entanto, que a licitação teve o mérito de acabar com o cartel do transporte público.

Luís Cláudio Alves – Coordenadoria de Comunicação Social

Sobradinho, a cidade dos líderes natos

SOBRADINHO

A Serra Brasiliense sempre se mostrou participativa na política do DF, levando seus representantes para o poder. Mas neste mandato de um governo truculento, a cidade passou a ter uma nova marca: suas lideranças.

.

O Leão da Colina anda rugindo contra o Palácio do Buriti e suas mazelas 24h no ar. O exemplo de cidadania da cidade é vista por todos os frequentadores do Facebook, que viraliza, on line, as mazelas da cidade.

 

Relatadas pelos seus líderes natos através de comunidades virtuais como a do Sobradinho em Ação, liderada pelo Isaac Rocha, temos sempre visto a  participação também,  da cômica e linda, Nayra Alves, que participa e muito dando seus palpites e opinando sempre nos problemas da Cidade, e é querida pelos Blogueiros do DF, ou pela página do Sobradinho II da depressão, liderada por Davi Santos, que faz plantão na UPA e no Hospital de Sobradinho, mostrando a realidade da má gestão do Governo Rollemberg.

A região serrana está coberta de bons lideres fazendo a diferença, pautando tudo e não escondendo nada.

Cris Oliveira

Denúncia: Metrô sem revisão há mais de mês

metro

Uma fonte super preocupada procurou o Blog da Cris para denunciar as más condições dos trens do Metrô-DF. Segundo a fonte, o Metrô está sem revisão periódica a cada 20 dias. Os rodeiros sempre foram revisados com frequência de 15 dias, no máximo 20, mas nesta gestão isso não vem acontecendo. E a última revisão foi há mais de 1 mês.

 

Os rodeiros dificilmente se desgastam, porém os rolamentos vão para o saco com muita rapidez. Segundo a fonte, a última manutenção foi em dezembro e já vai para 2 meses que o serviço foi prestado pela empresa, que fica em São Paulo. O DF está completamente entregue a funcionários que não têm compromisso, e nem retidão com o seu trabalho. DF no CAOS. Será que vão deixar o metrô parar?

 

Cris Oliveira

Desmotivação generalizada compromete atuação da PM em Brasília

Policiais militares reclamam de promessas não cumpridas, de falta de equipamento básico para o trabalho e da falta de perspectiva para o futuro

Millena Lopes

millena.lopes@jornaldebrasilia.com.br

Uma insatisfação latente na Polícia Militar do DF tem desmotivado a tropa. Embora ninguém assuma oficialmente que os policiais estejam em Operação Tartaruga, praças e oficiais reconhecem que há certa má-vontade generalizada no cumprimento das funções. Menor agilidade no cumprimento dos deveres e a velocidade reduzida das viaturas são apenas algumas das medidas que a tropa tem tomado.

Policiais militares reclamam de promessas não cumpridas, de falta de equipamento básico para o trabalho e da falta de perspectiva para o futuro. Militares ouvidos pela reportagem alegam que há munição e colete salva-vidas vencidos nos quartéis e que não veem preocupação do comando em substituí-los.

Procurados, os coordenadores de grupos articulados de militares se negam a falar oficialmente sobre o tema. E temem, além de represálias, que a discussão do assunto atrase as negociações com a atual gestão e, principalmente, com o comandante que assumiu há pouco mais de 20 dias a corporação. Têm esperança de que, ao contrário do que prometera o ex-comandante Florisvaldo Ferreira Cesar, o coronel Marcos Antônio Nunes de Oliveira encampe uma luta em defesa da categoria.

Redução do interstício

A redução do interstício – tempo  mínimo que cada policial militar deverá cumprir no posto ou graduação – para promoção de militares é a principal reivindicação da categoria. Reclamam de constantes promessas não cumpridas de reduzir, conforme prevê a lei, em até 50% este tempo, sempre que houver vagas não preenchidas.

A redução de interstício, diz  a Lei 12.086/2009 deve ser efetivada mediante ato do governador, por proposta do comandante-geral, para as promoções de oficiais;  do comandante, por proposta do titular do órgão de gestão de pessoal, para os praças.

De acordo com o presidente em exercício da  Associação dos Praças Policiais e bombeiros Militares do DF (Aspra-DF), Manoel Sansão, o governo está sensível à questão. “Estamos discutindo uma forma para que os policiais não precisem mais ficar pedido, mendigando todos os anos”, explicou.

Sansão  desconversa sobre a possibilidade de policiais militares, de forma individualizada, trabalharem em esquema de Operação Tartaruga no DF. “Não estou participando disso não”, esquiva-se.

Oficialmente, por meio de nota, o comando da  PMDF diz que “todos os serviços continuam funcionando normalmente”. Os coletes e munições não estão vencidos,  mas próximos do vencimento. De acordo com a corporação, já há um processo de licitação para a aquisição dos novos. A não redução de interstício, diz a PM, “está dentro do previsto na legislação e possibilidade orçamentária”.

A Secretaria de Segurança Pública e Paz Social, por meio da assessoria de imprensa, informou  que, apesar de acompanhar,  não comentaria o caso, porque “não tem gerência sobre estas questões”.

Expectativa para promoção em abril

Nas redes sociais, circulam comunicados em forma de ameaça de que os militares estão na iminência de deflagrar uma Operação Tartaruga geral, de forma institucionalizada. Chegaram até a aprovar, em assembleia realizada em dezembro do ano passado, que se começasse já a reduzir o policiamento ostensivo. A categoria se dividiu e o movimento enfraqueceu.

Uma parte dos policiais defende que o esquema seja iniciado em abril, quando devem ocorrer as próxima promoções. Está na Lei 12.086/2009 que  as graduações de militares devem ser efetivadas anualmente, sempre nos dias 22 de abril, 21 de agosto e 26 de dezembro, para as vagas abertas até o décimo dia útil do mês anterior.

A pressão para reduzir o prazo não deve funcionar, já que tanto o Governo do DF quanto o comando da PM justificam que as altas  despesas  e os limites com gastos de pessoal  impostos pela  Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) sejam o motivo principal para não se reduzir o interstício – principal reivindicação da categoria -, já que representa aumento de despesas.

Ainda sobre promoção

Tramita na Câmara dos Deputados uma proposta, de autoria do deputado federal Alberto Fraga (DEM)  – e relatoria do deputado Rôney Nemer  (PMDB) – para permitir que os militares do DF  sejam reformados com salários da graduação imediata. Assim, um tenente-coronel, por exemplo, ao se aposentar, já seria automaticamente alçado à patente de coronel.

Fonte: Da redação do Jornal de Brasília

Rollemberg ganha novo apelido: O SACI DE PATINETE

SACI

Presenciamos em 2015 o surgimento de uma figura icônica em Brasília: o SACI DE PATINETE.
Afundado na própria estratégia de tentar governar de uma forma “técnica”, o Saci e sua trupe de cobras voadoras não conseguiram mostrar a que vieram.

Das promessas de campanha, segue uma pequena lista daquelas que não foram cumpridas e prometidas para este primeiro fracassado ano de governo:

– Executar medidas para recompor salários e benefícios de servidores de diferentes carreiras.
– Fazer com que todas as escolas funcionem em tempo integral.
– Retomar o programa que garante um salário mínimo a todo aluno do ensino médio que concluir o ano com aprovação.
– Fornecer tablet para cada aluno do ensino médio das escolas públicas.
– Contratar, por concurso público, agentes comunitários de saúde para realizar ações preventivas.
– Implantar policlínicas odontológicas em todas as cidades.
– Construir o Hospital do Câncer.
– Devolver aos cidadãos, por meio do Nota Legal, os valores dos impostos recolhidos na compra de medicamentos.
– Criar o bilhete único para integrar todo o sistema de transporte coletivo.
– Construir a via Interbairros.
– Fazer uma linha de transporte rápido para Sobradinho, Planaltina e Formosa e de trem urbano para Luziânia.
– Inaugurar quatro restaurantes comunitários.
– Construir e equipar clínicas públicas para tratamento de dependentes de droga.
– Criar em todas as cidades centros de arte e cultura.

Fora que este discurso de que “não tem dinheiro” já não cola mais. O GDF arrecadou em 2015 mais de R$ 27,7 Bilhões, R$ 8 Bilhões a mais que no ano anterior.

Vai vendo…

Fonte: Isaac Rocha

Rollemberg participa da corrida de Reis

rollember co

Neste domingo (31), às 9h, o governador Rodrigo Rollemberg participa da tradicional Corrida de Reis. A realização da 46ª edição da competição só foi possível devido a parceria firmada entre o Governo de Brasília e a iniciativa privada, por meio da Secretaria de Educação, Esporte e Lazer. A largada da prova será no Eixo Monumental, entre o Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha e o Ginásio Nilson Nelson.

 

Serviço:

46ª Corrida de Reis

Horário: 9h

Local: Eixo Monumental, entre o Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha e o Ginásio Nilson Nelson

Agnelo Queiroz e Filippelli se defendem: “publicidade do governo não caracterizou promoção pessoal”

agnelo q

Agnelo Queiroz (PT) e Tadeu Filippelli (PMDB) divulgaram nota na manhã desta sexta-feira para comentar a decisão do Tribunal Regional Eleitoral que considerou a dupla inelegível. A Corte determinou que o ex-governador e o ex-vice governador não poderão participar de eleições durante um prazo de oito anos, mas ainda cabem recursos. “Estamos convictos e seguros quanto à regularidade dos atos de publicidade institucional veiculada durante todo nosso realizador governo, em especial durante o 1º semestre de 2014″, afirmam. Por unanimidade, o TRE entendeu que os gastos oficiais com propaganda tinham finalidade eleitoreira.

 

“Os limites de gastos foram respeitados, conforme foi reconhecido no julgamento e o conteúdo das peças publicitárias não diferem do que se veiculou nos três anos anteriores e nem exacerbam qualquer aspecto tendente a favorecer quem quer que seja, em especial nossas imagens e nomes e muito menos nossos partidos políticos”, alegaram os políticos na nota, que foi publicada no site do PT-DF. “Toda publicidade veiculada durante o Governo do Distrito Federal de 2011 a 2014 referiu-se a atos, programas, obras, serviços e campanhas dos órgãos públicos, contendo caráter educativo, informativo ou de orientação social, delas não tendo constado nomes, símbolos ou imagens que tenham caracterizado promoção pessoal de qualquer autoridade ou servidor público, conforme expressamente previsto na Constituição Federal, na legislação eleitoral, e na jurisprudência do TSE”.

 

 

Fonte: CB.Poder

Má gestão

inoperante

(Foto reprodução)

Passamos anos do Governo Agnelo informando a má gestão e a corrupção, por meio dos Blogs e Programas de Rádio. Na época eram denuncias, hoje  estamos vendo a comprovação de tudo! Será que as autoridades competentes e fiscalizadoras do patrimônio público ficarão novamente na inércia, sem tomar atitude? Depois que o governo acaba e os políticos já desviaram tudo, serão penalizados com a famosa inelegibilidade? A má gestão da geração Brasília é mais preocupante do que a da época Agnelo. Estão vendendo o DF com as privatizações e PPPs. Compram o que é fútil e inútil para obterem %. Isso é fato! Mais 3 anos assim, o retrocesso será irreversível .

Cris Oliveira

O FONAP PROVOCA O MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL SOBRE SUSPENSÃO DAS PROMOÇÕES DOS PRAÇAS DO CBMDF

Bombeiros-DF-700x260

Informamos que na quinta feira passada, 21 de janeiro de 2016, fizemos uma reunião no Clube dos Bombeiros com o intuito de orientar os praças quanto às promoções no âmbito do CBMDF. O Evento contou com todas as associações de praças ligadas ao Corpo de Bombeiros, quais sejam, o FONAP, o Clube dos Bombeiros, o Ideal Coletivo, a CABEN e a ASBOM.

 

Logo em seguida, na segunda-feira (25), o FONAP ingressou com petição perante o Ministério Público de Contas do Distrito Federal pugnando por representação do Órgão Ministerial junto à Corte de Contas.

 

O pedido, após apontamento dos fundamentos jurídicos acerca das possíveis irregularidades inerentes ao sobrestamento das promoções, se resumiu a concessão de medida liminar, para determinar ao CBMDF que processe imediatamente os atos de promoção do mês de julho, novembro e, por consequência, da quota compulsória dos praças do CBMDF, nos termos do art. 88 da Lei n° 12.086/2009 e demais legislações afetas.

 

No dia de ontem, terça-feira (26), o Procurador, Dr. Demóstenes Três Albuquerque, emitiu oOfício nº 02/2016-DA destinado ao Coronel Hamilton Santos Esteves Júnior, Comandante-Geral do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal, demonstrando que, de fato, na visão ministerial, as deliberações tratadas nos autos do Processo nº 18.660/2015, decorrente de Representação nº 15/2015-DA, ofertada pelo MPC/DF, teriam efeitos “inter partes”, não se vislumbrando quaisquer determinações de sobrestamento e/ou paralisação, “por tempo indeterminado”, das demais promoções no âmbito da Corporação, em prejuízo aos demais bombeiros-militares.

 

Por consequência, o MPC/DF solicitou ao CBMDF, no prazo de 10 (dez) dias, informações, incluindo-se Parecer Jurídico, que esclareçam o ato de sobrestamento de todas as promoções que deveriam ser realizadas.

 

O FONAP continuará lutando em defesa dos direitos dos seus associados conforme dispõe o seu Estatuto, tratando com responsabilidade, transparência e, sobretudo, pugnando pela verdade real dos atos praticados pela administração pública em face dos bombeiros e policiais praças e oficiais oriundos do quadro de praças das duas corporações em todo Brasil.

 

DOCUMENTOS ANEXOS:

 

1- Representação, com pedido de liminar. Clique AQUI

 

2- Ofício nº 02/2016-DA. Clique AQUI

 

Fonte: Site Fonap